ESTILO DE VIDA

Estudo aponta que ser o filho “favorito” pode causar depressão

Um estudo feito por cientistas da Universidade de Purdue percebeu que ser ou ter sido o “favorito da mamãe” não é bom para o controle emocional

None
FOTO: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 16/12/2016 às 13:32
Atualizado às 12:58

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Um estudo feito por cientistas da Universidade de Purdue, nos Estados Unidos, percebeu que ser ou ter sido o “favorito da mamãe” não é saudável para o controle emocional. A sensação de ser o filho predileto pode, comprovadamente, aumentar os riscos de desenvolver depressão.

mulher-abracando-crianca-mae

Foto: Shutterstock

Dados do estudo

Divulgado no Journal of Gerontology: Social Sciences, ele contou com mais de 700 jovens submetidos a situações de traumas na infância. Eles eram todos de famílias distintas e receberam acompanhamento psicológico ao longo de sete anos. Na época em que a pesquisa teve início, as mães tinham faixa etária de 65 anos. Os cientistas perceberam que os sintomas depressivos aparecem com mais frequência nos filhos que se sentem mais ligados emocionalmente aos pais devido a problemas como rivalidade entre irmãos e pelo peso de se sentirem diretamente mais responsáveis pelo cuidado com os progenitores na terceira idade.

LEIA TAMBÉM