Esquizofrenia: conheça o caso do cartunista Glauco

Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, o Cadu, de 29 anos, foi preso em 2010 acusado de matar o cartunista Glauco Vilas Boas e o filho dele, Raoni.

None
Foto: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 27/10/2016 às 06:00
Atualizado às 11:50

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Carlos Eduardo Sundfeld Nunes, o Cadu, de 29 anos, foi preso em 2010 acusado de matar o cartunista Glauco Vilas Boas e o filho dele, Raoni, na região metropolitana de São Paulo. Após ser preso, ele contou que comprou a arma usada no crime e a munição na periferia de São Paulo. O plano era sequestrar o cartunista – que também era líder da igreja Céu de Maria, frequentada por Cadu, e dedicada ao culto do Santo Daime. À polícia, Cadu disse acreditar que Glauco era um representante de São Pedro. Ele queria levar o cartunista até sua mãe, para que dissesse a ela que seu filho era Jesus Cristo. O acusado foi diagnosticado como esquizofrênico e, portanto, imputável.

Esquizofrenia

IMAGEM: Shutterstock

Diferente do psicótico, o psicopata não rompe com a realidade. Ele sabe exatamente o que faz, planeja meticulosamente como fazer, no intuito de não ser pego. Almejando alcançar o que quer, ele manipula, engana as pessoas e, quando mata, é porque foi contrariado ou por uma compulsão, mas ele sempre sabe que está cometendo um crime. Agora, o termo sociopata foi criado para fazer referência aos psicopatas que se destacam no ambiente corporativo, onde algumas empresas valorizam a frieza emocional.

“É importante deixar claro que os indivíduos com transtorno psicótico podem viver de maneira totalmente saudável se medicados, mantendo o transtorno estabilizado.” Andreia Georges, psicóloga.

Consultoria: Andreia Georges, psicóloga; Jônia Ranali, psicanalista

LEIA TAMBÉM

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.