Escolha o melhor adoçante para você

Dicas simples de como optar pelo melhor produto na hora da compra

None
Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 10/05/2016 às 10:30
Atualizado às 21:03

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Você sabia que uma única colherzinha de adoçante em pó pode adoçar tanto quanto várias colheres de açúcar? Fabricados à base de substâncias naturais ou artificiais, eles têm o poder de adoçar bem mais que o derivado da cana, são recomendados para fazerem parte da dieta dos diabéticos, além de também proporcionarem uma ajuda extra para quem deseja restringir as calorias e emagrecer. No entanto, assim como o açúcar, é necessário ter moderação na hora de consumi-los, certo? “Os adoçantes artificiais não alteram o índice glicêmico e ainda não agregam calorias à dieta, porém, algumas considerações são importantes na hora de escolhê-los”, salienta a nutricionista Juliana Cavaco.

adoçante

FOTO: Shutterstock

O raio-X de cada um

A nutricionista Mariana Taranto explica nas linhas abaixo as principais diferenças entre os tipos mais utilizados de adoçantes. Aproveite para escolher o seu!

Frutose

  • Características: naturalmente encontrada nas frutas, produtos agrícolas e mel. É solúvel em água e conserva o sabor doce quando submetida ao calor.
  • Vantagens: existem alguns argumentos a favor da utilização da frutose na alimentação de diabéticos: independência em relação à insulina no seu transporte, distribuição e metabolismo; absorção mais lenta comparativamente à glicose; aumentos mínimos e transitórios da glicemia após a sua absorção; efeito anti-cetogênico.
  • Desvantagens: ela pode ainda comprometer a absorção de minerais; estudos comprovam que o seu uso por tempo prolongado dificulta a absorção do cobre, o que traz implicações na síntese da hemoglobina. Alguns estudos indicam ainda que os produtos resultantes do seu metabolismo podem estar envolvidos nas complicações vasculares, renais e oculares da Diabetes Mellitus.

Acessulfame F

  • Características: é estável a temperaturas elevadas; utilizado na produção de bebidas, chocolates, geleias e pastilhas elásticas.
  • Vantagens: não apresenta efeitos tóxicos, carcinogênicos, mutagênicos e teratogênicos.
  • Desvantagens: o consumo é desaconselhável em situações clínicas de hipertensão e doenças renais.

Sucralose

  • Características: é resistente a temperaturas elevadas.
  • Vantagens: não produz cáries, não apresenta efeitos teratogênicos, de toxicidade ou carcinogenicidade.
  • Desvantagens: não há.

SAIBA MAIS

As diferenças entre açúcar e adoçante
Como viver melhor com diabetes
Descobrindo o pré-diabetes

Stévia

  • Características: é estável a temperaturas elevadas
  • Vantagens: estudos sugerem efeitos anti-hiperglicêmico, antihipertensor, antitumoral, antidiarreico, diurético e ação imunomoduladora. Não favorece a formação de cáries nem apresenta toxicidade.
  • Desvantagens: não há.
adoçante

FOTO: Shutterstock

Aspartame

  • Características: perde o poder adoçante quando sujeito a temperaturas elevadas; facilmente solúvel em líquidos quentes.
  • Vantagens: vários estudos comprovam a sua segurança para o organismo humano, sendo, inclusive, benéfico para o controlo do peso.
  • Desvantagens: o seu consumo é contraindicado em situação clínica de fenilcetonúria. Estudos sugerem uma associação com o aumento do risco de câncer. Também está associado ao Alzheimer e ao Parkinson.

Ciclamato de sódio

  • Características: é estável a temperaturas elevadas.
  • Vantagens: alguns estudos suportam o seu efeito inofensivo e não carcinogênico.
  • Desvantagens: consumo contraindicado para situações clínicas de hipertensão e doenças renais. Estudos animais apontam para a existência de alterações genéticas e atrofia testicular, estudos epidemiológicos em humanos sugerem que o consumo de uma mistura de ciclamato com sacarina pode estar associado a um pequeno aumento de risco de câncer de bexiga.

Sacarina

  • Características: é estável a temperaturas elevadas
  • Vantagens: possui edulcorante considerado seguro para o organismo humano.
  • Desvantagens: o consumo é contraindicado em situações clínicas de hipertensão e doenças renais. Pesquisas sugerem que poderá estar associado ao desenvolvimento de câncer da bexiga.

Texto: Paula Santana | Consultoria Juliana Cavaco e Mariana Taranto, nutricionistas.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.