ESTILO DE VIDA

Conheça o chimarrão, o tereré e outras versões da erva-mate

A erva-mate pode ser consumida na forma de chá, mas também como chimarrão, tereré e até mesmo capsulas, conheça todas as propriedades da planta!

None
Foto: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 03/01/2017 às 12:13
Atualizado às 16:36

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Além da versão comum, o chá-mate, a erva pode fazer parte do seu dia a dia como chimarrão, tereré, junto com sucos ou até em cápsula! Saiba mais sobre elas:

erva-mate

Foto: Shutterstock

Chimarrão e tereré

A diferença entre o chimarrão e o tereré é que o primeiro é feito com água quente e o segundo é preparado com água gelada, é possível ainda adicionar sucos ao tereré, justamente para refrescar, já que a temperatura na região de consumo (centro-oeste) é elevada. “Não há diferença entre os dois tipos de mate, ambos têm composição química semelhante e fornecem resultados similares para as pessoas”, afirma o pesquisador Edson Luiz da Silva.

Versão saquinho

A nutricionista Maiara Fidalgo, sugere o consumo da erva-mate na sua forma mais natural. “O ideal é comprar a erva seca e preparar a infusão, pois o chá de saquinho apresenta pouca quantidade da planta, além de que podem conter conservantes, corantes e açúcar”, alerta. Dessa forma, as duas versões carregam os princípios ativos da erva, mas o efeito costuma ser mais potente quando se trata da erva pura. Ou seja, a versão natural do mate é sempre a melhor opção, pois é livre de outras substâncias que podem reduzir o seu efeito no organismo.

Cápsula que emagrece

Conhecida como a pílula antifome, a PholiaNegra® nada mais é do que a erva-mate em cápsula. Encontrada em farmácias de manipulação, ela é feita com o extrato da planta. Suas principais ações, em relação ao emagrecimento são inibir a fome fora de hora, retardar o esvaziamento gástrico, dar saciedade, eliminar toxinas e dar mais disposição física. Porém, por ser um medicamento, sua venda só é permitida com prescrição médica.

Texto: Redação Alto Astral
Consultoria: Edson Luiz da Silva, doutor e pesquisador do Departamento de Análises Clínicas, da Universidade Federal de Santa Catarina; Maiara Fidalgo, nutricionista

LEIA TAMBÉM: