ESTILO DE VIDA

Enxaqueca: novo tratamento promete acabar com as dores!

Você sofre com os sintomas da enxaqueca? Aposte nesse novo método que promete solucionar seus problemas!

None
Foto: iStock/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 28/09/2016 às 13:06
Atualizado às 20:57

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Segundo a Organização Mundial da Saúde, cerca de 30 milhões de pessoas no Brasil sofrem de enxaqueca. A dor latejante na cabeça pode vir acompanhada de náuseas e/ou vômitos, tonturas, intolerância à luz, barulho, cheiros e movimentos (cinetofobia), causando um verdadeiro transtorno em quem sofre da doença. Veja o que a neurologista Célia Roesler fala sobre o assunto!

mulher com mao na cabeca enxaqueca

Foto: iStock/Getty Images

Dois tipos

Existem dois tipos: sem aura e com aura. A primeira geralmente se caracteriza por uma dor latejante em um dos lados da cabeça e dura de 4 a 72 horas. “A com aura tem este mesmo sintoma, porém, ela vem precedida de alterações visuais como luzes cintilantes, tipo flashes ou zigue-zagues, e o paciente pode também perder a visão lateral. Podem ocorrer alterações sensitivas quando a pessoa sente formigamentos que começam na mão, seguem para o antebraço, braço, metade do rosto e da língua do mesmo lado. Sintomas estes que são chamados de aura e podem durar de 15 minutos a uma hora seguidos de uma dor de cabeça muito forte”, explica a neurologista.

Tratamentos

“A enxaqueca tem dois tipos de tratamento. O abortivo, no qual são usadas substâncias específicas para abortar a dor como analgésicos, anti-inflamatórios e vasoconstritores isolados ou associados. E o profilático, quando usamos um ou dois medicamentos diários para prevenir a crise”, explica a médica que ainda alerta sobre o perigo da automedicação: “o uso abusivo de analgésicos pode transformar uma dor de cabeça que era episódica em enxaqueca crônica com dores de cabeça quase diárias”.

Novidade

Um novo tratamento promete melhorar a qualidade de vida de quem sofre com a doença. Chamado de neuromodulação, é caracterizado por um aparelho em formato de arco que, ao ser colocado na cabeça, gera pequenos estímulos elétricos ao nervo trigêmeo, principal causador das dores de cabeça, e por meio desses impulsos, altera a forma que a dor é assimilada. “O método não invasivo e sem efeitos colaterais é ideal para quem possui dores de cabeça e crises de enxaqueca frequentes como: enxaqueca comum, enxaqueca com aura, enxaqueca oftálmica, enxaqueca episódica, enxaqueca crônica, enxaqueca menstrual, sinusite, dor na região anterior da cabeça e dor de cabeça crônica”, explica Célia.

Como funciona?

“São duas opções focadas no tratamento das cefaleias. A primeira deve ser utilizada no momento da crise, voltada a melhora dos sintomas reduzindo a intensidade da dor, já o segundo programa atua na prevenção de enxaqueca e o uso do aparelho deve ser diário, com sessões de cerca de 20 minutos, pois seu uso frequente induz a uma diminuição da quantidade, intensidade ou até mesmo o desaparecimento das dores. Os efeitos são sentidos cerca de um ou dois meses depois”, finaliza.

LEIA MAIS: 

Salvar