Rótulo: entenda as informações em letras miúdas que fazem diferença na sua dieta

Desvende item por item do rótulo, entenda como eles podem fazer a diferença no seu corpo e use as informações a favor da sua dieta

None
Ftoto: Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 06/12/2017 às 12:02
Atualizado às 12:30

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Na hora de comprar um alimento, existem alguns itens que devem ser levados em conta além do preço, validade e quantidade. As informações presentes no rótulo fazem total diferença na sua dieta. Listamos e explicamos, de acordo com o “Manual de orientação aos consumidores”, da ANVISA, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária, o que você precisa saber da tabela nutricional. Entenda como cada item pode fazer a diferença no seu corpo e use as informações à favor da sua dieta.

Ingredientes: Primeiramente, atente-se à ordem em que eles aparecem no rótulo. Ela deve começar com o alimento que está presente em maior quantidade, seguindo a ordem decrescente. Se começar com açúcar ou sal, fuja dele!

Porção: é a quantidade média que deve ser consumida para que a alimentação seja saudável.

%VD: quanto o produto possui de energia e nutrientes, baseado em uma dieta de 2.000 calorias, valor indicado para um adulto. Se um produto apresenta, por exemplo, 60% de VD no rótulo, significa que seu consumo representa mais da metade indicada para um dia. Alimentos processados como peito de peru e requeijão, ainda que fontes de baixo teor calórico, costumam ter %VD maiores que os indicados para consumo em um único dia. Fique atenta para não incluí-los na sua dieta!

Carboidratos: tem como principal função fornecer energia ao corpo. Porém, quando em excesso, causam lentidão no organismo e acumulam-se na região abdominal. Portanto, refira incluir na sua dieta os carboidratos complexos como arroz integral e batata-doce para fornecer maior saciedade.

Proteínas: são componentes essenciais nas dietas para transformar as gorduras em exercícios físicos.

Gorduras totais: é a soma das gorduras saturadas, insaturadas e trans.

Gorduras saturadas: estão presentes em alimentos de origem animal. Se consumidas em excesso, são uma bomba para o organismo, aumentando também o risco de doenças cardiovasculares.

Gorduras insaturadas: são as chamadas gorduras boas, que colaboram com a redução do colesterol ruim, prevenindo doenças do coração. São essenciais para quem deseja levar uma vida saudável e, inclusive, emagrecer.

Gorduras trans: típica de produtos industrializados, são adicionadas para dar sabor, textura e durabilidade aos alimentos.

Fibra alimentar: elas auxiliam no bom funcionamento do intestino, evitando a prisão de ventre e o inchaço abdominal. Quanto mais artificial for o produto, menos fibras ele tem.

Sódio: usado como conservante e realçador de sabor, ele está presente no rótulo de quase todos os produtos industrializados. Um dos principais vilões das dietas, ele retém líquidos no organismo e deixa o corpo inchado. Portanto, seu consumo exige atenção e, se possível, substituição por temperos in natura.

Texto: Thaís Farias/ Colaboradora | Fonte: Manual de Orientação aos Consumidores – Educação para o Consumo Saudável, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária – ANVISA

LEIA TAMBÉM: