Saiba como educar uma criança com ainda mais amor e consciência

Educar uma criança não é tarefa fácil. Além de carinho e paciência, é preciso muito jogo de cintura para lidar com os pequenos. Para facilitar esse processo, trouxemos as principais dúvidas respondidas por um pediatra e uma psicóloga

None
Foto: Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 05/04/2018 às 10:35
Atualizado às 11:27

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

É praticamente uma regra: os pequenos sempre nos surpreendem. Foi para tirar as dúvidas mais comuns das famílias e dar dicas para educar uma criança que o casal Carlos e Lourdes Brunini, ele pediatra e ela, psicóloga, escreveram o livro Como entender e criar seu filho para a vida, pela Editora Áurea. Malu selecionou 8 perguntas e respostas para você.

Qual é o papel dos pais e o da escola ao educar uma criança?

“Família educa, escola ensina”, sintetiza o médico. Segundo ele, muitos pais atribuem à escola o trabalho de educar uma criança, e acabam transferindo o trabalho que eles deveriam fazer em casa: o de transmitir valores como respeitar os idosos e mastigar de boca fechada. “A escola pode até dar continuidade à educação que a criança recebe da família, mas não tem essa responsabilidade”.

Como lidar com a carência afetiva?

Carlos ensina que as crianças precisam saber que são amadas para se sentirem mais seguras no momento de enfrentarem o mundo. Essa carência pode ser manifestada de forma explícita, quando seu filho pede beijos e abraços. No fundo, ele quer que você demonstre o que sente. “Uma pessoa pode estar o dia inteiro junto de outra sem estar de fato com ela. É preciso aprender a dizer aos fi lhos que eles são importantes”, orienta.

O que faço se meu filho recusa carinho?

Em primeiro lugar, analise se esse comportamento vem do jeito de ser dele ou se realmente ele não conhece o valor da afetividade. Se o problema for este, é preciso ensiná-lo a se sensibilizar com os outros, por exemplo, mostrando que existem crianças que não têm o que comer ou vestir.

Qual o papel dos pais na definição da opção sexual de seus filhos?

É preciso que a família dê a chance à criança de se identificar com o papel do genitor do mesmo sexo: os meninos com o pai e as meninas com a mãe. “É preciso que os pais exercitem os seus papéis sexuais e o definam bem diante dos filhos”, sugere Lourdes.

Qual o melhor horário para a criança ir para a cama?

O horário, segundo o médico, deve ser o que combine melhor com a rotina da casa e o relógio biológico da criança. “Meia hora antes de ir para a cama, é preciso que os pais comecem a acalmar o filho, evitando que ele assista a filmes agitados na tevê e faça brincadeiras que o deixem excitado”, aconselha Carlos. O ideal é ter uma sequência para todos os dias, por exemplo, vestir o pijama, tomar um copo de leite, fazer xixi, escovar os dentes, deitar e pegar no sono.

Quando começar a falar sobre sexualidade com a criança?

“Quando ela começar a perguntar”. Segundo Carlos, por volta dos 5 anos, quando se inicia a idade dos “por quês”, a criança fica curiosa. “Elas devem ser respondidas da maneira mais honesta e natural possível”, afirma o profissional.

Como estabelecer limites ao educar uma criança?

As regras da casa devem ser eficazes, razoáveis e coerentes: a criança precisa saber o que deve fazer sempre, o que não pode fazer nunca e o que depende das circunstâncias.

A birra é uma tentativa de manipulação?

É o momento em que a criança perde o controle e tenta se sair bem com isso. “Se a criança fizer uma cena porque pediu alguma coisa e não foi atendida, a mãe deve dizer que não vai fazer o que ela quer e levá-la para casa. Que todas as vezes que fizer isso irá para casa na mesma hora. E cumprir”, explica Lourdes. Se a mãe ficar constrangida ou ceder ao desejo do filho, a criança fará birra sempre.

Consultoria: Carlos Brunini, pediatra e diretor clínico do Hospital da Mooca, Casa da Saúde D. Pedro II e diretor-presidente da Faculdade de Ciências da Saúde de São Paulo

LEIA TAMBÉM