ESTILO DE VIDA

Drenagem linfática: faça seu corpo funcionar melhor!

Melhore o funcionamento do seu corpo com a ajuda da drenagem linfática. Elimine o volume de gordura e nódulos do corpo. Confira mais sobre o assunto!

None
Foto Istock.com/Getty images

por Redação Alto Astral
Publicado em 21/10/2016 às 19:06
Atualizado às 20:54

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

A drenagem linfática faz com que o seu corpo funcione melhor, além de facilitar a perda de volume nas áreas mais críticas de acumulação de gordura e nódulos, como pernas, glúteos e abdômen.

massagem corporal

Foto Istock.com/Getty images

INDICAÇÕES

São vários os profissionais capazes de executarem a técnica de drenagem linfática manual ou mecânica. Ambas são indicadas para o tratamento da celulite (pernas, glúteos, abdômen), recuperação pré e pós-parto, pós-lipoaspiração e pós-cirurgia. É igualmente benéfica no tratamento do linfedema (acumulo de líquido no braço ou na perna devido ao bloqueio do sistema linfático), varizes sem risco de embolia, má circulação, cansaço muscular e problemas articulares… dos pés à cabeça, passando pelas costas, mãos, seios, pescoço e face.

mulher tocando em sua perna

Foto Istock.com/getty images

Mas não é apenas a parte exterior do corpo que se beneficia desta massagem. De acordo com Guida Torres, osteopata, “também os órgãos internos como o fígado, os rins e os intestinos se beneficiam dessa técnica, visto que são estimulados a eliminar toxinas, gorduras e líquidos em excesso”. Aliás, esta é a principal função da drenagem linfática manual. “Após uma sessão de drenagem a melhora do inchaço é visível. Em quadros de gordura localizada e celulite mais graves, a drenagem linfática auxilia na eliminação dessas gorduras transformadas em toxinas”, explica a osteopata.

Leia também: 

Contraindicações

Esta técnica é contraindicada para pessoas com trombose venosa profunda, infecções agudas (bronquite, apendicite, etc.), hipertensão, tumores, abcessos, nódulos não identificados. Antes de fazer o uso desta técnica, consulte um especialista ou o seu médico e veja se está apta.

Consultoria Guida Torres, osteopata