Dormir até mais tarde é sinônimo de mais inteligência?

Dormir até mais tarde é a vontade de muitas pessoas. Além de deixar o corpo cheio de energia, o tempo de sono influencia na inteligência

None
FOTO: Shutterstock Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 31/08/2016 às 18:56
Atualizado às 12:10

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Até certo ponto, é verdade que dormir até mais tarde é sinônimo de mais inteligência! Mundo afora, diversas pesquisas já tentaram estipular um tempo ideal de sono para que as principais funções do organismo sejam estabilizadas. Há alguns especialistas no assunto que defendem que o período de repouso noturno deve durar entre seis e oito horas. “Aparentemente, as pessoas que vão dormir mais tarde se dão melhor na inteligência do que os que acordam cedo”, explica o mestre em neurociência Martin Portner.

homem-dormindo-dormir-mais

FOTO: Shutterstock Images

O profissional cita uma pesquisa realizada pela Universidade de Madrid, na Espanha, e indica que quem possui esse hábito de permanecer acordado de madrugada tem maior possibilidade de obter notas mais altas. Além disso, segundo o psicanalista Paulo Paiva, outros benefícios para quem prefere dormir mais tarde são “um nível maior de curiosidade, vitalidade intelectual e complexidade cognitiva”, defende.

No entanto, isso não quer dizer que você deve mudar complemente seu tempo de sono. Na verdade, essa questão é muito mais natural do que de escolha. “O que se pode dizer é que quem dorme bem ativa melhor a sua capacidade mental e de inteligência, porque possibilita também a ampliação da criatividade”, ressalta a mestra em psicologia Maura de Albanesi.

Saiba mais

Inteligência: conheça as áreas do cérebro responsáveis por ela

Inteligência emocional: dicas para estimular a sua

Conheça a Teoria das Inteligências Múltiplas: 8 formas diferentes de classificar gênios

Texto: Vitor Manfio/Colaborador – Edição: Giovane Rocha/Colaborador

Entrevistas: Augusto Biason e Vitor Manfio/Colaboradores

Consultorias: Martin Portner, neurologista e mestre em neurociência pela Universidade de Oxford, na Inglaterra; Maura de Albanesi, mestra em psicologia; Paulo Paiva, psicanalista.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.