Doenças psicossomáticas: entenda o que é esse problema e como detectá-lo!

As doenças psicossomáticas ainda são pouco conhecidas por muitas pessoas, mas devem ser tratadas para melhorar a qualidade de vida dos pacientes

None
Cada paciente apresenta sintomas específicos e deve ter um tratamento individualizado. FOTO iStock.com/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 03/07/2017 às 13:06
Atualizado às 13:57

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Você, provavelmente, já ouviu alguém dizer que pensamentos positivos atraem coisas boas ou que ter uma visão negativa aproxima episódios igualmente desagradáveis. A lógica é válida e, inclusive, comprovada pela ciência. Prova disso é o reconhecimento da existência das doenças psicossomáticas. Trata-se do tipo de patologia que tem motivação psicológica e causa alterações no corpo. “É comum que pessoas angustiadas, nervosas, preocupadas e tristes tenham problemas em seus sistemas imunológicos. O sofrimento emocional produz cortisol, o hormônio do estresse, fazendo com que o organismo fique doente”, destaca a psiquiatra Maria Cristina De Stefano.

É doença, sim!

Apesar do não aceitamento e até do preconceito (por vezes decorrente da falta de conhecimento) que rondam as doenças psicossomáticas, elas se manifestam e exigem tratamento especializado. De acordo com a individualidade do paciente é possível definir como o acompanhamento será realizado. Mas, atenção: doença psicossomática não é sinônimo de somatização.

Buscar ajuda especializada é uma forma de conquistar bem-estar ao tratar as doenças psicossomáticas.

Buscar ajuda especializada é uma forma de conquistar bem-estar ao tratar as doenças psicossomáticas. FOTO iStock.com/Getty Images

“A primeira apresenta evidência médica de comprometimento de um órgão ou sistema. Já a segunda ocorre em indivíduos com vasta história de queixas clínicas (somáticas) envolvendo múltiplos órgãos ou sistemas com duração de vários anos, busca por exames e tratamentos médicos sem evidência clínica”, explica o psiquiatra Eduardo Birman. De qualquer forma, ambas demandam cuidados profissionais.

Não confunda!

Doenças psicossomáticas e doenças emocionais são tipos diferentes de patologia. “As emocionais são caracterizadas pelo ‘exagero’ de certas emoções. Todos temos medo, por exemplo, mas um medo patológico torna-se uma fobia”, pontua o psicanalista Cristian Boragan. Síndrome do pânico, crise de ansiedade, transtorno bipolar e transtorno obsessivo compulsivo são exemplos de doenças emocionais. Já as psicossomáticas são doenças físicas clinicamente comprovadas e com causas emocionais.

Consultoria Cristian Boragan, psicanalista; Maria Cristina De Stefano, psiquiatra

LEIA TAMBÉM:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.