Doença no fígado também acomete os cães, proteja-os!

A doença no fígado, chamada de doença hepática, faz com que o órgão perca suas funções, comprometendo a saúde dos animais. Saiba como cuidar do seu pet!

None
A doença no fígado é agravada pela falta de apetite do animal | Foto: Freepik

por Redação Alto Astral
Publicado em 06/07/2017 às 09:00
Atualizado às 13:40

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Conforme os cachorrinhos envelhecem, o funcionamento de seu organismo começa a mudar e as doenças começam a surgir, como a doença no fígado, um órgão fundamental que exerce várias funções, entre elas a de filtrar o sangue, enviando para os rins as toxinas que devem ser eliminadas. Algumas infecções e anomalias podem causar problemas no fígado, que caracterizam-se como doença hepática, e é uma das cinco principais doenças para a morte de cães. Conheça as causas, quais raças são mais propensas a sofrer desse problema e como cuidar do seu bichinho!

Causas

A maioria dos casos de hepatite primária canina tem origem idiopática, isto é, surgem espontaneamente. Mas também há hepatopatias causadas por micro-organismos, toxinas, drogas, reações imunomediadas, distúrbios hereditários relacionados ao metabolismo de cobre, alterações metabólicas raciais, além de neoplasias.

Predisposição da doença no fígado

A idade média de animais acometidos está entre quatro e sete anos, tanto em machos como em fêmeas. As raças mais predispostas são: Dobermann, Pinscher, West Highland White Terrier, Scottish Terrier, Labrador Retriever, Cocker Inglês e Cocker Americano.

Sintomas

Os sintomas dependem da gravidade e progressão da doença e só são observados quando a enfermidade esgota as reservas hepáticas. Os pacientes podem apresentar quadros gastrintestinais inespecíficos, como hiporexia, perda de peso, náusea, êmese e diarreia.

Dieta específica

a doença no fígado é agravada pela falta de apetite do animal. Por isso, o alimento
precisa ser bastante palatável e muito digestível, para reduzir o estado catabólico. É preciso oferecer uma dieta de manutenção que utilize proteínas em quantidade suficiente para atender a regeneração, reparação e manutenção do fígado.

Fonte: Marcello Machado, gerente técnico nacional da Total Alimentos. www.equilibriototalalimentos.com.br

LEIA TAMBÉM:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.