Diabetes em cães: veja os sinais dados pelo seu cãozinho e proteja-o dessa doença!

Essa doença é um problema de saúde que requer alguns cuidados, inclusive nos animais. Veja como prevenir o diabetes em cães

None
Cães sedentários correm maior risco de desenvolver a doença | Foto: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 03/08/2017 às 09:00
Atualizado às 13:42

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

O diabetes pode atingir cães de diversas raças e tamanhos, geralmente de cinco a 15 anos de idade, mas as raças como os Samoyeds, terriers australianos, schnauzers miniatura, pugs, poodles miniatura e poodles toy têm mais chances de desenvolver a doença. Além da propensão do aparecimento por fatores genéticos, ela pode surgir em decorrência de infecções, obesidade e má alimentação. Conheça as causas do diabetes em cães e como cuidar do seu animal de estimação.

Causas do diabetes em cães

De acordo com o veterinário Éric Vieira Januário, endocrinologista do Hospital Veterinário Pet Care, os cães obesos e sedentários, que seguem o estilo de vida de seus tutores, possuem uma tendência maior em desenvolver a doença. “Embora ainda existam estudos científicos em relação a isto, é sempre indicado que a alimentação do pet seja realizada de maneira saudável, evitando assim a ocorrência do diabetes em cães”, explica o veterinário.

Diagnóstico e tratamento

Os primeiros sinais de que o cão pode estar com diabetes são o aumento na produção de urina, a ingestão de água e comida em excesso, além de perda de peso. Em casos mais avançados, o animal pode apresentar falta de apetite, vômito, diarreia, dores abdominais e, até mesmo perda da visão que se dá por conta da catarata diabética. Para certificar-se da existência do problema, é necessária a realização de exames de sangue e urina. Após a descoberta, deve ser iniciado o tratamento. Para os casos mais graves, o tratamento e controle do diabetes em cães é realizado por meio da aplicação diária de insulina. Como existem vários tipos, o ideal é que o médico veterinário escolha qual será aplicada e as aplicações devem ser feitas e acompanhadas por ele. Quando o tratamento é realizado de forma correta e eficaz, é possível que os cães diabéticos vivam por mais de 5 anos após o diagnóstico com uma boa qualidade de vida.

LEIA TABMÉM:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.