Diabetes: você sabia que cães e gatos também pode ter?

Os bichinhos de estimação também podem ter diabetes e muitas pessoas desconhecem esse fato. Confira mais sobre o assunto!

None
Foto: iStock.com/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 02/12/2016 às 13:37
Atualizado às 12:52

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Sim, os bichinhos de estimação também podem ter diabetes! A doença nos pets é bem parecida com a dos humanos e precisa de cuidados da mesma forma que nas pessoas. Por isso, é importante sempre prestar atenção aos sinais que os cães e gatos dão e não deixar de fazer o check-up no veterinário para monitorar a saúde dos animais. Confira algumas dicas de como protegê-lo:

Mulher com seu cachorro no veterinário

Foto: iStock.com/Getty Images

ATENÇÃO AOS SINAIS

Os donos devem desconfiar de diabetes mellitus quando seu animalzinho apresentar sinais como: aumento da sede, do apetite e do volume e vezes que urina. “Como o diabetes provoca eliminação de glicose pela urina, alguns proprietários relatam formigas ao redor de onde o animal faz xixi”, explica a veterinária Janaina Biotto. Outros sinais que também podem estar presentes são vômitos e alguns chegam a desenvolver catarata em estágios mais avançados da doença.

DIABETE NOS ANIMAIS

Assim como nos humanos, o diabetes nos animais é provocada pela produção insuficiente de insulina pelo pâncreas. “A insulina é o hormônio responsável por carregar glicose do sangue para dentro das células do corpo e quando esse hormônio está insuficiente, sobra glicose na circulação e falta dentro da célula”, diz Janaína. Por isso, os níveis de glicose ficam altos no sangue, o que leva os veterinários a suspeitarem da doença.

gato no veterinário

Foto: iStock.com/Getty Images

COMO TRATAR?

O tratamento é muito parecido com o de pessoas que possuem a doença, o que normalmente envolve a reposição de insulina através de injeções diárias e uma dieta balanceada e saudável. “Em casos mais graves e descompensados, o animal pode exigir internação para receber soro, antibióticos e medicações para vômitos e estômago até conseguir ter alta e fazer o tratamento em casa”, acrescenta a veterinária.  Dessa forma, a dieta de um cão ou gato com diabetes tipo I é um dos pontos chave do tratamento. Existem rações comercializadas especialmente para animais com essa condição. Mas lembre-se: a ração do gato é diferente da de cachorro.

Leia também: 

FUJA DA DIABETES!

Muitas vezes o diabetes em animais pode ter causas genéticas. Entretanto, o estilo de vida, através da alimentação e de exercícios físicos regulares, é capaz de determinar o aparecimento ou não da doença. “Fatores como obesidade e dietas inadequadas podem levar à resistência insulínica e, consequentemente, a um quadro de diabetes que poderia nunca ter aparecido se a pessoa ou o animal tivessem outro estilo de vida”, explica. A dica é manter um peso ideal através de exercícios físicos regulares com seu bicho de estimação e fornecer ração de qualidade nas quantidades certas, além de evitar dar petiscos inadequados.

Consultoria Janaina Biotto, veterinária