Depressão: confira sinais de que seu pet vive um quadro depressivo

Embora muitos não entendam, pets também podem enfrentar quadros depressivos. Confira alguns sinais que indicam que seu pet pode estar com depressão

None
Foto: reprodução/Shutterstock Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 27/09/2017 às 17:59
Atualizado às 13:46

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Assim como os seres humanos, os cães também podem enfrentar quadros de depressão. Existem diversos fatores que acabam motivando a doença, como, por exemplo, deixar o animal muito tempo sozinho e, até mesmo, mudanças bruscas e repentinas na rotina do pet. Além disso, de acordo com Fernando Lopes, especialista em comportamento animal e adestrador do Red Dog Walker, algumas raças de cães são propensas a quadros depressivos, como Border Collie, Whipet, Pastores, Labradores e Terriers. O especialista dá algumas orientações para que os tutores identifiquem se seus pets são felizes.

Postura

Observe a postura corporal do animal – ela pode te mostrar se o cão está alegre o triste

“Um cão feliz está sempre com o rabo para cima – e sim, abana-lo é sinal de que o pet está contente. Animais que apresentam essa postura corporal com frequência e que procuram sempre algum tipo de interação com o tutor, dificilmente serão diagnosticados com depressão”, afirma Fernando.

Já atitudes como lamber as patas dianteiras ou, em casos mais extremos, chegar a morde-las causando ferimentos são sinais de alerta. De acordo com o especialista, frequentes crises de agressividade sem motivo aparente também merecem uma atenção especial dos tutores.

Sintomas

Os principais sintomas de depressão estão ligados ao comportamento do pet. O cão que está infeliz irá demonstrar isso através da mudança de temperamento, ou do desenvolvimento de hábitos que não são comuns à personalidade do animal, como, por exemplo, comer compulsivamente e de forma rápida qualquer alimento que lhe for oferecido, ficar – de repente – sem regras para fazer xixi e coco nos lugares corretos, além de apresentar muita atividade noturna, trocando o dia pela noite.

Prevenção

A melhor forma de prevenção é proporcionar qualidade de vida ao animal. Passeando com ele pelo menos duas horas por dia – que devem preferencialmente ser divididas em dois passeios -, oferecer uma alimentação de qualidade e com horários regrados, além de levá-lo a parques ou outros locais nos quais ele poderá socializar com outros cães.

Tratamento

Para Fernando Lopes, o melhor remédio para tratar a depressão em cães é combinar uma série de atividades que o estimule. Visitar lugares novos para que o cachorro possa sentir odores diferentes, fazer com que ele pratique atividades físicas por meio de brincadeiras e também treiná-lo com comandos de adestração básicos, para que ele exercite a mente.A falta de instrução e rotina apertada de alguns tutores são as principais dificuldades encontradas para colocar todas as dicas em prática, por isso, profissionais como passeadores e adestradores podem ajudar a manter a saúde do pet em dia.

LEIA TAMBÉM:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.