Depressão: distúrbio é dividido em seis tipos

Segundo o principal guia de saúde psiquiátrica, a depressão é dividida em diferentes tipos. Conheça as variações do transtorno

None
FOTO: Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 29/11/2016 às 10:04
Atualizado às 12:49

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Apesar de estar presente entre sintomas de outros transtornos mentais, a depressão, na versão mais recente do guia psiquiátrico Manual de Diagnóstico e Estatística de Transtornos Mentais (DSM-5, sigla em inglês) possui critérios próprios para o seu diagnóstico. O livro subdivide o distúrbio em seis tipos, apresentando sintomas semelhantes relacionados ao humor, mas que se diferenciam de acordo com a periodicidade dos sinais, definição das causas e os momentos em que costumam aparecer. Abaixo, confira as variações do transtorno depressivo:

Entenda a relação entre depressão e falta de motivação

FOTO: Shutterstock.com

Depressão maior

É o quadro mais clássico do transtorno. Inclui os sintomas depressivos mais comuns, como as alterações de comportamento e humor, apresentando, como consta no DSM-5, diferentes episódios com duração de pelo menos duas semanas.

Depressão persistente (distimia)

O diagnóstico desse tipo ocorre quando os episódios aparecem por um período mais longo, cerca de dois anos em adultos e um em crianças e adolescentes. Os sintomas desse quadro aparecem com maior frequência durante o dia.

Induzida por substância/medicamento

A pessoa apresenta o humor depressivo antes e depois da administração de substâncias químicas. Nesse caso, os sintomas da abstinência e intoxicação também compõem o quadro, mas sem relação com a depressão em si.

Depressão disfórica pré-menstrual

O manual psiquiátrico define esse diagnóstico quando sinais (como ansiedade e irritabilidade) depressivos aparecem na semana anterior ao começo do ciclo menstrual e vão desaparecendo durante a semana seguinte ao período.

Transtorno depressivo especificado

Os sintomas aparecem, mas não contemplam todos os critérios de diagnóstico de qualquer outro tipo de depressão. O especialista que realiza a consulta opta por especificar o motivo de o quadro não abranger todos os padrões de outros distúrbios depressivos.

Transtorno depressivo não especificado

A diferença para a categoria anterior é que o profissional escolhe não especificar a razão pela qual o quadro não se encaixa em outras definições por falta de informações.

LEIA TAMBÉM

Texto e entrevistas: Giovane Rocha/Colaborador – Edição: Augusto Biason/Colaborador