Dentinhos do bebê: saiba mais sobre o nascimento

Entenda o que fazer quando os dentinhos do bebê estão nascendo!

None

por Redação Alto Astral
Publicado em 24/10/2016 às 13:11
Atualizado às 11:48

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Com certeza, você já deve ter ouvido falar que, no nascimento dos dentinhos do bebê são comuns incômodos como febre, disenteria, dificuldade em dormir e outros, não é mesmo? Mas, acalme-se! Tudo isso pode não passar de grandes coincidências à fase em que o bebê está.

bebê sorrindo com dentinho

FOTO: Shutterstock

Anticorpos

Conforme explica a médica pediatra e pneumologista da Sociedade Paulista de Pneumologia e Tisiologia (SPPT), Maria Helena Bussamra, de São Paulo (SP), durante os nove meses de gestação, o bebê recebeu uma grande carga de anticorpos de sua mãe.

Essas substâncias permanecem mais ativas no corpo da criança até os seis primeiros meses de vida, que é quando o organismo do bebê começa a produzir sua própria defesa, fabricando anticorpos.

“É um momento em que o bebê está mais frágil devido a essa mudança em seu organismo e é exatamente nesse período que começam a surgir os primeiros dentinhos”, acentua. Portanto, qualquer sintoma, como febre ou desinteira, pode estar relacionado a alguma pequena doença, não ao nascimento dos dentinhos em si, que fazem parte do desenvolvimento comum do corpo de qualquer criança.

Atenção aos sinais

Certamente você irá perceber quando os dentinhos começarem a nascer em seu filhote. Levar os dedos e objetos à boca, babar e mastigar brinquedinhos são algumas das pistas mais comuns. Nessa fase, fique de olho na higienização dos brinquedos e tenha cuidado para que seu filho não coloque na boca algum material felpudo, cortante, muito pequeno ou que possa se desfazer com a saliva ou com o movimento de mastigação. Afinal, toda precaução é bem-vinda para que o filhote não se machuque ou pegue alguma doença nessa etapa tão importante, não é mesmo?

Hora de limpar

A higiene bucal pode ser iniciada na vida da criança logo quando surgirem as primeiras pontinhas brancas na gengiva! Com hábitos alimentares saudáveis e horários fixos para as refeições, não será difícil introduzir esse passo tão importante na vida do pimpolho. No começo, a higiene pode ser feita de modo simples, passando delicadamente sobre a gengiva do bebê o dedo envolto em gaze ou na pontinha de uma fralda.

Outra opção é utilizar dedeiras próprias para a higiene bucal de bebês, vendidas em farmácias e em casas de artigos infantis. A partir de um ano, aproximadamente, quando os dentes já estão um pouco mais desenvolvidos, inicia-se a escovação, com cremes dentais sem flúor. “Como as crianças, no início da escovação, costumam engolir grande quantidade de pasta, esse creme específico previne da fluorose, uma doença conhecida por deixar manchas brancas nos dentes”, explica Maria Helena.

Na hora de comprar a pasta de dente, procure aliar qualidade ao prazer do pequeno pela escovação. Isso porque o creme dental, por mais simples que pareça aos adultos, também funciona como estímulo à higiene bucal ao pequeno, já que tem sabor variado e é colorido. “Também não deixa de ser importante, pois em sua composição há substâncias que diminuem a proliferação bacteriana na boca das crianças”, atesta a profissional.

Boca a boca

Tudo bem! As crianças costumam ser tão fofinha, que o que mais queremos é beijá-las e abraçá-las toda hora que lembramos que elas existem! Mas, com certeza, você não quer que esse excesso de amor possa fazer mal a elas, não é mesmo?

Pois bem: hábito comum entre alguns pais, o beijo na boca de seus filhos é, literalmente, um tobogã de bactérias! Isso mesmo: por meio desse ato, mesmo sem saber, os pais passam milhares de bactérias e vírus para a boca da criança, o que pode provocar cáries. Assim como beijar na boca, outras ações comuns no dia-a-dia de muitas famílias são tão prejudiciais como essa.

Entre as mais conhecidas, está assoprar a papinha quente ou experimentar a comida da criança com a mesma colher que irá servi-la. Por isso, se você é adepta de um desses hábitos, procure hoje mesmo abandoná-los para não passar, por meio da saliva, impurezas para a boca de seu bebê. Afinal, nunca sabemos quando as bactérias vão atacar!

LEIA MAIS:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.