ESTILO DE VIDA

Demonstrar gratidão traz mais bem-estar no seu dia a dia

Você tem o hábito de demonstrar gratidão? Essa atitude pode gerar muito mais bem-estar no seu dia a dia. Saiba como treinar a mente para ser mais grato

None
Foto: iStock.com/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 20/09/2017 às 11:00
Atualizado às 11:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Pode até parecer uma expressão retirada de alguma rede social focada em posts motivacionais, mas, se compreendida e aplicada da forma correta, a gratidão também se torna um hábito muito saudável. Para entender o poder dessa prática, primeiramente, é preciso compreender que demonstrar gratidão não significa simplesmente aceitar tudo o que acontece a sua volta.

O princípio da gratidão, segundo a analista comportamental Vanderleia Nienkotter, é enxergar experiências ruins como oportunidade de aprendizado e agradecer pelos bons acontecimentos. “Precisamos treinar nosso cérebro para entender que não existem erros, mas oportunidades de buscar novos resultados”, defende a especialista.

Vanderleia ainda explica que é uma questão de como se enxerga determinada situação, por mais adversa que ela pareça ou realmente seja. “Para todas as coisas que acontecem conosco, podemos transformar em algo bom e ser grato, ou podemos ressignificar algo que foi ruim e retirar aprendizados”, conclui.

Uma maneira eficiente de incluir a gratidão na sua rotina é por meio da lei da atração. Esse conceito parte do princípio de que quanto mais você busca demonstrar gratidão pelas coisas boas e pelos aprendizados com as situações ruins da vida, atrairá mais energias positivas para si mesmo.

“Mesmo que ainda não tenha o resultado que espera, comece a vibrar positivamente como se já estivesse realizado, porque isso acabará atraindo benefícios para você” ressalta Vanderleia. Para tanto, faça uma lista no fim do dia relatando pelo que você é grato na vida. Outro método é iniciar o dia agradecendo pelas coisas boas que poderão acontecer e, no fim, agradecer novamente pelo que foi bem-sucedido.

LEIA TAMBÉM

Texto e entrevistas: Giovane Rocha – Consultoria: Vanderleia Boing Nienkotter, analista comportamental, farmacêutica e educadora em saúde