ESTILO DE VIDA

Dançar protege o coração e ajuda a emagrecer

Dançar é uma atividade física que proporciona benefícios para o corpo e a mente: ajuda a emagrecer, afasta a depressão e muito mais!

None
FOTO: Shutterstock Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 17/08/2016 às 19:04
Atualizado às 21:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Quem nunca sonhou em repetir os passos de danças de famosos filmes de Hollywood? Mesmo as pessoas mais “durinhas” desejam ter o molejo que envolve o corpo e a alma. Dançar é bem mais do que diversão ou exercício físico, pois também traz enormes benefícios à autoestima, ao convívio social e aos relacionamentos afetivos. Conheça mais vantagens dessa atividade!

Dançar é prazeroso e ajuda a emagrecer

FOTO: Shutterstock Images

Dois pra cá, dois pra lá

O ditado popular poderia muito bem ser adaptado para “quem dança, seus males espanta”. O especialista em dança de salão Caito Junior justifica essa afirmação apontando o que ganham os adeptos dessa atividade física: redução das taxas de colesterol no sangue, melhora do sistema cardiovascular, tonificação dos músculos, redução do peso corporal e aumento da flexibilidade, além de melhora da coordenação motora, da postura, da memória e da respiração.  “Isso sem contar as funções terapêuticas, como o desenvolvimento de disciplina, o estreitamento de relações, o combate à depressão leve e moderada, a promoção de divertimento e o aumento dadisposição e da autoestima”, completa o profissional.

SAIBA MAIS:

Aprenda ritmos musicais diferentes para se exercitar

7 hábitos saudáveis que ajudam a emagrecer

Cuidado: remédios para emagrecer podem representar riscos à saúde

Dançar não tem restrições

Qualquer pessoa saudável pode dançar, sem restrições de idade ou gênero. Basta passar por uma avaliação médica, que determinará o treino adequado às necessidades individuais. Vale lembrar que quem sofre com problemas de joelho ou articulações precisa ter cuidados especiais.

De modo geral, é recomendável praticar três vezes por semana, em dias alternados. Em um mês de dança, os resultados já podem ser sentidos e, ainda que você não vire um “pé de valsa”, o que vale é garantir benefícios para o corpo com muita diversão.

Texto Mila Pereira/Colaboradora

Consultoria Caito Junior, especialista em dança de salão