Crise de ciúme: psicóloga mostra como controlar esse sentimento que pode ser a ruína de muitos casais

Entenda quando a crise de ciúme passa a ser um problema para o relacionamento e aprenda a controlá-la para não sofrer as consequências desse sentimento

None
Foto: iStock.com/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 22/12/2017 às 13:01
Atualizado às 11:49

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Quem nunca sentiu ciúme do amado que atire a primeira pedra! Comum nos relacionamentos, ele geralmente aparece quando nos sentimos ameaçadas de alguma forma. Aí, com medo de perder a pessoa que está ao nosso lado, acabamos cometendo algumas loucuras. Entretanto, o exagero na crise de ciúme pode ser a ruína dos relacionamentos, afinal, esse sentimento excessivo e fantasioso não é saudável e pode trazer sofrimento aos envolvidos.

Perfil do ciumento

“Geralmente são pessoas mais inseguras, dominadoras e/ou controladoras”, explica a psicóloga Andrea Lorena. No relacionamento, é possível identificar o parceiro como ciumento excessivo quando ele começa a fazer questionamentos constantes, querendo controlar onde o outro está, com quem e o que está fazendo.

Crise de ciúme sadia. Existe?

Segundo a psicóloga, é possível sim haver um ciúme que não prejudique a relação e as atividades do casal. “No ciúme sadio não existem prejuízos, é gostoso e o parceiro sente-se querido. No ciúme doentio, o ciumento gasta muito tempo tentando controlar o outro na tentativa de minimizar qualquer situação que possa vir a ser traído, questiona constantemente, espiona, verifica as coisas do parceiro, cheira roupas procurando vestígios de relações sexuais anteriores”, diferencia Andrea.

Tem tratamento!

Os ciumentos podem ser divididos em duas categorias: obsessivo, que critica o parceiro, mas depois de uma conversa, consegue perceber que a reação foi exagerada; e o delirante, que tem sentimento tão forte que não consegue ver que sua reação foi delirante e fantasiosa. Se perceber que a sua relação é prejudicada por esse sentimento, a especialista sugere tratamento psicoterapêutico. “Durante as sessões, são trabalhadas questões como autoestima e segurança emocional”, finaliza Andrea.

Como agir?

Pessoas que sofrem com o ciúme do outro

• Converse com o parceiro sobre o assunto.
• Mostre que a reação dele a magoa.
• Não minta na tentativa de amenizar suas crises.

Pessoas ciumentas

• Pense antes de agir.
• Evite alimentar as fantasias.
• Questione se o pensamento sobre o ciúme tem o por quê de existir.
• Não provoque o ciúme alheio, pois pode alimentar muito mais desentendimentos.
• Busque ter uma boa autoestima.

Texto: Daniela Andrioli | Consultoria: Andrea Lorena, psicóloga clínica

LEIA TAMBÉM