ESTILO DE VIDA

Crianças: o estresse também pode atingir os pequenos!

O estresse é um dos males do século 21. Infelizmente, as crianças não estão livres de serem afetadas por esse mal. Entenda mais sobre o assunto!

None
Foto Istock.com/getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 18/10/2016 às 19:26
Atualizado às 20:55

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Atualmente muitas crianças são afetadas pelo estresse. A maioria dos pais desconhece esse problema, que pode desencadear-se com o nascimento de um irmão, mudança de escola ou problemas financeiros na família.

criança estressada

Foto Istock.com/getty Images

Isso parece impossível, pois falar de criança é falar de diversão, mas algumas mudanças no cotidiano da criança pode desenvolver um quadro de estresse. Quando ela é exposta a uma situação estressante, se não tiver ainda desenvolvido no seu repertório comportamental, habilidades para reagir e controlar essa situação, poderá desenvolver um quadro de estresse infantil. De acordo com a psicóloga comportamental Vera Lima: “é importante que os pais preparem os seus filhos, desde muito cedo, a viverem as incertezas, onde sentimentos de frustração estejam presentes. Que, de forma gradativa e sistemática, eles aprendam a lidar com situações que requererão do seu repertório, construído a partir das suas experiências, a adaptação necessária às mudanças impostas pela vida, sejam elas boas ou más”.

Fique atenta!

Alguns sintomas podem passar despercebidos e indicam que a criança sofre de estresse:

  • Tique nervoso
  • Hiperatividade
  • Náuseas
  • Diarreia
  • Gagueira
  • Ranger de dentes
  • Falta de apetite
  • Medo ou choro em excesso
  • Agressividade e impaciência
  • Insegurança
  • Introversão
  • Pesadelos

Leia também: 

Tratamento

No tratamento, é feita uma entrevista com os pais para recolher dados sobre quais as situações de estresse a criança apresenta. É feito uma análise funcional, por um psicólogo comportamental e, posteriormente, algumas estratégias são adotadas por meio de orientação aos pais. São dicas de como lidar com o filho no momento da crise, treinos e desenvolvimentos de habilidade e de repertórios comportamentais, de tolerância à frustração, resolução de problemas e treinos de relaxamento, possibilitando aos filhos e aos pais uma aprendizagem que resultará numa melhora na qualidade de vida.

Consultoria: Vera Lima, psicóloga comportamental