7 mitos e verdades sobre os conselhos de saúde da vovó

Não é difícil encontrar alguém que tenha aquele velho palpite sobre algum problema. Mas o que é mito e o que é verdade sobre os conselhos de saúde da vovó?

None
FOTO: shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 30/03/2017 às 13:00
Atualizado às 13:40

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Não é difícil encontrar alguém que tenha aquele velho palpite da avó sobre algum problema de saúde. “Engordou? Foi a pílula!”, “Comeu demais? Não entre na piscina!”. Mas quais realmente podem ser levados a sério? São todos mitos ou tem algum fundo científico? O clínico geral Filippo Pedrinola responde algumas dessas questões e esclarece as dúvidas sobre os conselhos de saúde da vovó.

mitos e verdade sobre os conselhos de saúde da vovó

Será que tudo que as avós dizem é verdade ou existe um pouco de mito sobre os conselhos de saúde da vovó? Foto: Divulgação

1. O estresse causa úlcera no estômago

É errado afirmar que uma pessoa desenvolveu uma úlcera no estômago devido ao alto estresse. A úlcera estomacal é causada por uma bactéria chamada Helicobacter pylori, e não por motivos emocionais. O que é comprovado cientificamente é a relação entre estresse e gastrite. Uma pessoa sob muita pressão e estresse pode desencadear a doença.

2. Água com açúcar acalma

Essa é uma crença popular. De acordo com o clínico geral, adicionar açúcar à água não a torna sedativa. Há quem veja um fundo de verdade nesse mito, pois o açúcar ajudaria na produção do neurotransmissor serotonina, responsável pela sensação de bem-estar. Mas Pedrinola indica que vale mais a pena adicionar o açúcar num chá de camomila ou erva-cidreira.

3. Entrar na piscina após as refeições pode provocar problemas e até levar à morte

Fala-se que entrar na piscina ou no mar depois de comer pode causar congestão, porém isso não passa de um mito. “Depois que comemos, ocorre dilatação dos vasos sanguíneos do nosso sistema digestivo para favorecer a digestão e a absorção dos nutrientes, mas não chega a ser suficiente para ‘roubar oxigênio do cérebro’ e provocar desmaio”, esclarece o especialista.

4. Colocar uma faca no galo da testa impede que ele cresça

A afirmação tem um fundo de verdade, porém, o que impede que o hematoma fique maior é o contato com algo frio e não necessariamente a faca. Por isso, o indicado é colocar uma bolsa de gelo no local. O “galo” para de crescer devido à vasoconstrição, ou seja, o estreitamento das veias e o fluxo de sangue.

familia-feliz-pai-mae-avos-netos

O conhecimento dos mais velhos tem embasamento científico? FOTO: Shutterstock

5. Café melhora a ressaca

Muitas pessoas pensam que o consumo de café pode ajudar na melhora da ressaca porque a bebida é estimulante. Mas esse pensamento não tem nenhuma comprovação científica. O melhor mesmo é dormir e esperar a ressaca passar. E de acordo com o nível de intoxicação, procurar um médico.

6. Batata na testa e nas têmporas alivia enxaqueca

Essa tem pinta de conselho furado, mas funciona de verdade! Colocar rodelas geladas de batatas na cabeça alivia o desconforto da enxaqueca. Isso acontece por causa do estreitamento dos vasos sanguíneos da região, devido ao frio das rodelas. Usar bolsas térmicas geladas também surtem o mesmo efeito. Mas atenção: elas atenuam os sintomas, mas não curam as crises.

7. Vitamina C combate gripe e resfriado

Há tempos que a vitamina C vem sendo estudada como possível auxiliar no tratamento e prevenção de resfriados, porém as evidências científicas são inconsistentes. “O que os pesquisadores encontraram foi que seu principal efeito ocorre em condições extremas, como corredores de maratona. Nesse grupo, diminui o risco de contrair resfriado pela metade”, explica Pedrinola. Em geral, a ingestão de vitamina C é suficiente quando se consome frutas e vegetais regularmente. O uso de suplementos também é seguro e a recomendação é de 90mg para homens e 75mg para mulheres por dia.

Texto: Amanda Dias  

Consultoria: Filippo Pedrinola, clínico geral

LEIA TAMBÉM::

TAGS

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.