ESTILO DE VIDA

Conheça quais são os livros sagrados do Budismo

Alguns dos ensinamentos de Sidarta Gautama foram registrados em livros, para fixar as bases do pensamento do Budismo para a posteridade

None
FOTO: Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 18/01/2017 às 16:16
Atualizado às 17:19

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Passados mais de quatrocentos anos após a morte de Sidarta Gautama, os preceitos básicos do Budismo foram registrados. Escrito no Sri Lanka, na língua páli (bem próxima ao idioma falado pelo Buda em vida), o Cânone em Páli ou Tipitaka reúne aquilo que consiste na base da vertente Theravada. Trata-se de um conjunto literário bem longo, e é dividido em três partes ou “cestos” (“Ti” significa “três” e “pitaka”, “cestos”, na língua páli).

Conheça quais são os livros sagrados do Budismo

FOTO: Shutterstock.com

Os livros sagrados do Budismo

Vinaya pitaka

É o conjunto de regras que devem ser seguidas pelos bhikkhus (monges) e bhikkhunis (monjas) em sua vida monástica nas Sanghas (comunidades). Mas vai muito além de um conjunto de regras: aqui, conta-se as histórias que deram origem a cada uma dessas normas, e esclarece como Buda conseguiu manter a harmonia numa comunidade tão ampla e complexa.

Sutta pitaka

Trata-se do agrupamento de discursos de Buda e de seus discípulos mais próximos durante os quarenta e cinco anos em que Sidarta se dedicou a difundir seus ensinamentos.

Abhidhamma pitaka

Nessa parte, o conjunto de textos apresentado no “cesto” anterior é destrinchado de uma nova forma. Os princípios são reorganizados de modo praticamente científico. Bastante denso e filosófico, apresenta uma análise de conceitos que auxiliam a compreender melhor a natureza da mente e da matéria.

LEIA TAMBÉM