Conheça a história de quem já fez a cirurgia bariátrica

Lina Deff conta sua trajetória até a realização da cirurgia bariátrica. Até agora foram eliminados 37 kg

None

por Redação Alto Astral
Publicado em 24/04/2016 às 21:02
Atualizado às 11:58

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

A história de Lina Deff transborda motivação e força de vontade. Na luta contra a balança desde que era apenas um bebê, ela se submeteu a uma cirurgia bariátrica em nome da sua saúde e por amor à vida! A redução de estômago, como também é conhecida, se tornou muito popular no país e tem sido a grande oportunidade para muitos mudarem de vida. Confira o relato de Lina:

Conheça a história de quem já fez a cirurgia bariátrica

Foto: Arquivo Pessoal

“Tudo começou quando eu tinha 6 meses de idade e o médico pediu para minha mãe cortar o açúcar da minha dieta porque eu estava muito acima do peso. Desde então, nesses 30 anos de vida, eu não me lembro de uma época na qual eu não estivesse fazendo regime.

A fase crítica chegou em 2004, quando eu estava com 20 anos e 120 kg. Nessa época, eu pensei em fazer a cirurgia bariátrica, mas desisti depois de ter feito todos os exames. No ano seguinte, desisti de novo porque queria aproveitar a vida com meus amigos e não estava disposta a lidar com as restrições alimentares.

Em 2009 fui fazer uma viagem de avião e, quando eu sentei no banco, bom, eu não sentei no banco porque eu não coube. Aquilo era um alerta mais do que vermelho, mas eu ainda não percebia o quanto estava gorda.

No final de 2012 minha mãe me arrastou a um endocrinologista especialista em obesidade e diabetes. O médico mediu minha glicose durante a consulta e viu que ela estava 415mg/dl. Eu fiquei assustada, minha mãe ficou assustada, mas o que me deixou mais preocupada foi o fato do próprio médico ter ficado assustado. Saí do consultório, passei em um supermercado e no dia seguinte, numa sexta-feira, eu comecei a nova dieta. E tudo estava lindo. Perdi 27 kg, comia bem, me exercitava diariamente e estava me sentindo ótima. Eu estava realmente decidida a viver uma vida saudável. E então eu comecei a engordar de novo.

Foi aí que, num belo dia, eu medi minha glicose por curiosidade e deu 525mg/dl. Eu sabia que ela estava alta. Eu sentia meu corpo formigando o tempo todo, sentia um sono descontrolado e muita sede, mas eu não esperava que ela estivesse tão alta assim. Foi aí que eu cheguei à conclusão de que eu não queria morrer, mas que eu também não queria apenas sobreviver. Eu queria ter uma vida saudável! E foi assim que eu me lembrei da tal cirurgia de redução de estômago 10 anos depois…

+ O que é redução de estômago

No dia 24 de fevereiro eu operei. Confesso que eu não estava preparada pras duas primeiras semanas. Eu só podia tomar sucos e depois caldos, mas eu não conseguia colocar nada pra dentro. Fiquei muito fraca e não conseguia nem tomar banho sem ficar tonta.

No primeiro mês pós-cirurgia, eu perdi 11 kg. Fiquei super empolgada e tive mais força ainda pra continuar na dieta. No segundo mês eu comecei a fazer caminhadas de 20 a 30 minutos todos os dias e continuei comendo só o que era permitido. Emagreci mais 9 kg. Eu já me sentia outra pessoa.

No terceiro mês eu aumentei o tempo de atividade física. Comecei a caminhar por 1h todos os dias e também fazia exercícios para os braços e pernas. Emagreci mais 9 kg. No quarto mês eu comecei a intercalar corridas com a caminhada e aumentei a intensidade dos exercícios para braços e pernas. Emagreci mais 6kg. E aí chegamos onde estou hoje: 37 kg a menos.

Durante todo o período pós-cirurgia, eu fiz acompanhamento com uma nutricionista pra colocar o máximo de nutrientes possível nas pequenas refeições que eu faço diariamente. Ainda estou me adaptando à nova vida. Tenho dias ruins, dias que eu queria comer o mundo, mas nessas horas a ajuda da cirurgia é fantástica: não cabe no estômago, então eu não como!”

A meta de Lina é perder mais 13 kg e depois, junto com seus médicos, decidir o que fazer. Mas mais importante que o número mostrado na balança, é como ela se sente consigo mesma. “Eu me sinto o melhor que já me senti na vida”, afirma. Parabéns pelo seu esforço e boa sorte na sua caminhada!

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.