ESTILO DE VIDA

Conheça casos de transtornos ansiosos

Fobias, TOC, ansiedade generalizada e distúrbio de estresse pós-traumático estão no quadro de distúrbios ansiosos. Veja a diferença entre eles.

None
FOTO: Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 05/09/2016 às 19:31
Atualizado às 20:58

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Os transtornos ansiosos dividem-se em algumas categorias de acordo com o gatilho que faz seus sintomas virem à tona. Além da síndrome do pânico e a depressão (que não pertence a essa classe de distúrbios, mas podem compartilhar dos mesmos sintomas), o especialista Bayard Galvão cita mais quatro exemplos que se encaixam no quadro:

Fobias

Aqui, o agente que aciona a ansiedade é o medo irracional por algum objeto, animal ou situação. Contudo, o psicólogo ressalta que as fobias podem ser mal diagnosticadas às vezes: “uma reflexão um pouco mais rigorosa leva ao fato de que o indivíduo não teme o avião em si, mas a queda do veículo. E não tanto do acidente, mas de morrer”.

Conheça os casos de transtornos ansiosos

FOTO: Shutterstock.com

Transtorno Obsessivo Compulsivo (TOC)

Manifesta-se por meio de rituais que a pessoa com TOC simplesmente não consegue deixar de lado. Alguns dos comportamentos são fixações com determinados números ou algum pensamento que fica constantemente se repetindo na mente. Segundo Bayard, a manifestação dos sintomas ansiosos acontece, na verdade, por “uma intensa vontade de fazer algo que evitaria isso (de um modo fantasioso ou não), seja rezar, abrir e fechar a porta, dar pulos ou até lavar a mão e corpo de maneira contínua e terrivelmente rigorosa”.

Ansiedade generalizada (TAG)

Esse distúrbio se caracteriza, principalmente, pela preocupação exagerada sobre alguma coisa, o que gera muita tensão na pessoa com o quadro. Se esse padrão se repetir com frequência, haverão alguns efeitos negativos: “aumenta a irritabilidade, piora o sono, diminui a capacidade de concentração, de memorização e uma série de efeitos maléficos ao corpo, inclusive prejudicando sistema imune, subindo a probabilidade de ter alguma doença”, alerta o psicólogo.

Distúrbio de estresse pós-traumático

Os sinais da ansiedade aparecem após passar pela experiência de algum trauma psicológico, seja pela perda de uma pessoa querida, um assalto, um acidente de carro ou por sofrer atos violentos.

Veja mais:

Terapias podem ser mais eficazes no tratamento da ansiedade

Ansiedade: em alguns casos, o uso de remédios é necessário

Conheça os remédios mais indicados em casos de ansiedade

Consultorias: Ana Paula Cavaggioni, psicóloga da Clia Psicologia e Educação (www.cliapsicologia.com.br), em Santo André (SP); Bayard Galvão, psicólogo, hipnoterapeuta e presidente do Instituto Milton H. Erickson, de São Paulo (SP).

Texto: Giovane Rocha/Colaborador – Entrevistas: Natália Negretti – Edição: Augusto Biason/Colaborador