Conheça as sensações da tontura

Descubra quais doenças e complicações podem causar instabilidade no corpo

None

por Redação Alto Astral
Publicado em 02/10/2013 às 13:00
Atualizado às 21:04

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres
Mulher com tontura

Foto: Vinícius Tupinamba/Colaborador

Visão embaçada, impressão de corpo girando e vertigem são algumas das sensações que se encaixam na classificação de tontura – um sintoma que está ligado a diversas doenças e síndromes. A tontura é uma reação do corpo para algo que está errado. O neurologista Roberto Magalhães Carneiro cita como as principais causas da tontura a queda de pressão arterial, alterações metabólicas e hormonais, variações no labirinto, agitação emocional e mudanças nas estruturas relacionadas ao equilíbrio como cerebelo e nervos periféricos.

“A tontura como é relatada pelos pacientes pode ter diferentes interpretações”, afirma o médico. Ou seja, existem diferentes tipos de sensações que se relacionam com problemas específicos e que precisam ser avaliadas por um especialista para serem diagnosticadas como, por exemplo:

+ Tontura de caráter rotatório, em que o paciente sente tudo rodando, seja no sentido vertical ou horizontal, geralmente relacionada a alterações labirínticas;

+ Tontura como sensação de fraqueza ou de desmaio, o paciente sente a visão escurecer ou turvar, geralmente por queda da pressão arterial ou hipoglicemia.

+ Tontura oscilatória, como a sensação de mareio: alterações metabólicas e emocionais.

O que fazer quando sentir tontura

Nessa hora, é importante manter a calma. O neurologista revela que a sensação de descontrole e vulnerabilidade provocada pela tontura costuma provocar estresse intenso no paciente. “Se a tontura for rotatória, procure uma posição que seja mais confortável e faça movimentos bem lentos. Evite fazer movimentos de rotação da cabeça para os lados e saia de ambientes agitados, com muito movimento”, recomenda. Espere que a sensação diminua e procure atendimento médico em um pronto socorro. Roberto alerta sobre a importância de relatar exatamente as condições que levaram à tontura.

Mas, se a tontura surgir ao se levantar bruscamente, como quando o telefone toca e a pessoas levantam correndo para atender, o melhor é checar a pressão arterial – deitada ou em pé. E, se houver uma redução significativa, hidrate o corpo com água e procure um médico. “Se a tontura está associada a sudorese e taquicardia, procure checar a glicemia”, aconselha.

Segundo Roberto, a investigação de pacientes com tontura deve iniciar-se por uma boa história, com o máximo de detalhes possível. Depois é recomendável realizar um exame clínico, neurológico e otorrinolaringológico, complementado por exames de laboratório como otoneurológico, de imagem, de pressão arterial e até psicológico.

Consultoria
Roberto Magalhães Carneiro Oliveira, neurologista do Hospital Alemão Oswaldo Cruz

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.