ESTILO DE VIDA

Conheça os conectivos lógicos condicionais e de negação!

Os conectivos lógicos condicionais dão a ideia de condição para que a outra proposição exista. “P” será condição suficiente para “Q”.

None
conectivos lógicos condicional

por Redação Alto Astral
Publicado em 28/11/2016 às 08:57
Atualizado às 15:18

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Condicionais (símbolo –>): este conectivo dá a ideia de condição para que a outra proposição exista. “P” será condição suficiente para “Q” e “Q” é condição necessária para “P”. Nesse caso, a proposição será falsa se o termo da esquerda for verdadeiro e o termo consequente for falso. Os termos podem ser substituídos pelas palavras “suficiente” e “necessário” para compreender melhor o exemplo abaixo:
–> = “se…então”.

Exemplo: P –> Q (Se eu não comi, então eu estou com fome). Não comer é condição suficiente para estar com fome, enquanto estar com fome é condição necessária por não ter comido.

Regra para os conectivos condicionais:

conectivos lógicos condicionais

Bicondicional (símbolo <–>): o resultado das proposições será verdadeiro somente se as duas forem iguais, ou seja, as duas verdadeiras ou as duas falsas. “P” será condição suficiente e necessária para “Q”. <–> = “se e somente se” Exemplo: P <–> Q (O valor de x é maior que o valor de y se e somente se o valor de y é menor do que o valor de x).

Regra para os conectivos bicondicionais:

conectivos lógicos bicondicional

Negação (símbolo ~ e ¬): este conectivo pode ser representado por dois símbolos. Quando usamos a negação de uma proposição, invertemos a afirmação que está sendo dada.

Exemplo:

~P (não P): o bolo não é gostoso. (É a negação lógica de P).
~Q (não Q): o pão não é barato. (É a negação lógica de Q).

Se uma proposição é verdadeira, quando usamos a negação vira falsa. Se uma proposição é falsa, quando usamos a negação vira verdadeira.

Regra para o conectivo lógico de negação:

conectivos lógicos, negação

LEIA TAMBÉM

Texto: Redação Edição: Angelo Matilha Cherubini