ESTILO DE VIDA

Como as tecnologias interferem na sua concentração

É fato que as tecnologias vêm com o intuito de facilitar nossa rotina. Mas e quando se trata de concentração, elas ajudam ou atrapalham?

None
FOTO: iStock

por Redação Alto Astral
Publicado em 09/09/2016 às 19:02
Atualizado às 20:57

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Você pode ouvir música clássica e se “isolar” em seu mundo para estudar. Você pode utilizar a agenda de seu celular para organizar seus eventos e aliviar um pouco o excesso de informações que você carrega na cabeça utilizando seu HD externo. Você pode jogar um pouco algum jogo que o distraia e diminua seu estresse. Você pode, inclusive, aumentar suas habilidades cognitivas com softwares de cognição, incluindo de atenção e concentração disponíveis em alguns aplicativos.

O problema é quando existe a necessidade de estar ligado em tudo o que acontece o tempo todo! “Isso faz com que pessoas, quando deveriam relaxar, fiquem on-line 24h, provocando ainda mais fadiga mental, e quando deveriam estar focados no trabalho ficam dispersos, dividindo a atenção para execução da tarefa diminuindo sua produtividade. Ajudar ou atrapalhar a atenção depende de quando, quanto, como e para que esses recursos são utilizados”, explica a neurologista Vanessa Müller.

mulher no computador - concentração

FOTO: iStock.com/Getty Images

Em outras palavras, os artefatos midiáticos tecnológicos, como smartphones e tablets, podem ou não atrapalhar a concentração – tudo depende de quem os utiliza. Assim, se uma pessoa utiliza seu smartphone até mesmo em atividades nas quais ele não é necessário, é evidente que esse material a privou de estar totalmente presente em sua atividade principal e, consequentemente, diminuiu seu nível de concentração e de produtividade.

“Outra dificuldade relativa ao uso desses aparelhos relaciona-se ao fato de eles possibilitarem o acesso a muitas informações em segundos e conterem diversos tipos de aplicativos sobre diferentes temas, o que pode tornar mais fácil perder o controle do tempo gasto nesses aparelhos ou desviar-se do objetivo inicial do uso do aparelho naquele momento”, acrescenta Christyano Malta, head master coach da Casa Coaching (empresa voltada para a pesquisa e desenvolvimento de Coaching).

Saiba mais

5 aplicativos para facilitar atividades da escola ou faculdade

Cérebro saudável é igual a maior concentração

Texto e entrevistas: Larissa Tomazini – Edição: Giovane Rocha/Colaborador

Consultorias: Christyano Malta, head master coach da Casa Coaching; Vanessa Müller, neurologista