Mais amor, por favor: 4 orientações para praticar a comunicação não violenta!

Nos dias atuais, dialogar de forma saudável tem sido, cada dia mais, um desafio. Saiba como praticar uma comunicação não violenta!

None
(Foto: Shutterstock)

por Redação Alto Astral
Publicado em 11/05/2018 às 13:44
Atualizado às 13:51

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Comunicar-se é uma ação fundamental e indispensável para nós, seres humanos. Conversamos, discutimos, declaramos… Enfim, nos expressamos com nossos semelhantes cotidianamente. E em tempos em que os debates são cada vez mais acalorados e o estresse virou moda, ser um ponto de bom senso é um grande diferencial profissional. Assim, buscar por formas de comunicação não violenta deve ser uma preocupação de todos.

Mesmo estando de mal humor, é preciso saber receber uma crítica construtiva feita de forma coerente e aprender. Não se deve permitir que o estado de espírito influencie na comunicação, no tom de nossa voz, na expressão corporal e nas palavras escolhidas. É importante sempre fazer com que os interlocutores tenham uma impressão agradável.

Para ter sucesso na comunicação é sempre necessário considerar as situações separadamente. Cada conversa é única, assim como os interlocutores que participam daquele momento. Não se pode permitir que sentimentos referentes àquela situação se façam presentes em outro contexto, ainda que de forma velada, e viciem os diálogos com termos negativos ou mal colocados.

Pensando nisso, o coach e CEO do Instituto Passadori – Educação Corporativa Reinaldo Passadori elaborou quatro orientações que podem auxiliar na comunicação não violenta:

LEIA TAMBÉM

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.