Como o sono influencia na dieta?

O sono é muito importante para equilibrar o organismo e evitar doenças. Além disso, ele deve ser levado em consideração para quem está de dieta!

None
Foto: iStock.com/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 01/08/2016 às 13:00
Atualizado às 11:54

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

O fato de dormir está inteiramente ligado a perda ou ganho de peso. De acordo com a nutricionista Cátia Medeiros, durante o sono profundo é realizada a liberação do hormônio GH, que está relacionado ao crescimento das crianças. Nos adultos, é um dos responsáveis por auxiliar na redução de gordura e poupar os músculos.

mulher loira com sono dormindo

Foto: iStock.com/Getty Images

Por que devemos dormir bem?

Dormir pouco ou mal diminui a formação de melatonina (hormônio do sono, que regula nosso “relógio biológico”). Consequentemente, baixa os níveis de leptina (hormônio responsável pela sensação de saciedade) e aumenta os de grelina (hormônio que se refere à fome). Por isso, quando dormimos pouco ficamos com mais fome e queimamos menos gordura. Além disso, quem passa uma noite “em claro” acaba procurando alimentos mais calóricos e menos saudáveis durante o dia. E essa dificuldade em sentir saciedade acaba provocando a compulsão alimentar. Segundo a especialista, existe um mínimo de horas de sono indicado para ajudar na perda de peso. “Até mesmo para auxiliar no ganho de massa muscular são necessárias, pelo menos, 6 horas de sono de qualidade, ou seja, reparador e sem interrupções”, explica Cátia.

SAIBA MAIS

Qual o meu tipo de barriga e como diminuí-la?

Monte seu prato com a quantidade ideal de nutrientes!

Óleos antibarriga: escolha o seu!

Alimentos aliados do sono

A nutricionista lista alguns nutrientes e alimentos que são aliados do bom sono para aqueles que têm dificuldade de dormir:

Triptofano: está presente em ovos, grão-de-bico, banana, semente de gergelim, cacau e leite;
Passiflora incarnata: é conhecida como a folha do maracujá e ajuda a ativar os receptores do neurotransmissor da serotonina, o hormônio do bem-estar;
Melatonina: cerveja (com moderação), aveia e arroz integral.

Edição de texto: Juliana Borges e Júlia Prado | Consultoria: Cátia Medeiros, nutricionista da Atual Nutrição, de São Paulo

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.