Descubra como o seu cérebro reage em situações de ansiedade intensa

Você sabe como o seu cérebro se comporta em caso de ansiedade intensa? Veja a seguir e aprenda um pouco mais sobre esse órgão!

None
FOTO: Istock.com;GettyImages

por Redação Alto Astral
Publicado em 02/12/2016 às 12:42
Atualizado às 12:52

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

A ansiedade é uma reação química que acontece em diversas áreas do organismo, mas o início de tudo está no sistema nervoso. Com o conjunto de algumas áreas do cérebro, a ansiedade tem como principal finalidade despertar o estado de vigilância para que o indivíduo possa estar preparado para alguma situação que ofereça perigo. Porém, quando há um desequilíbrio nas funções cerebrais, a ansiedade considerada normal passa a ser vista como uma patologia.

“Atualmente, as pesquisas apontam para uma base genética que, na formação das estruturas cerebrais ligadas aos estados de vigilância (amígdala, córtex pré-frontal), desencadeiam erros de funcionamento neuroquímico (serotonina e noradrenalina). As disfunções provocam as sensações de medo exagerado, pânico e outros transtornos ansiosos”, explica o psiquiatra Luiz Vicente Figueira de Mello.

cerebro-ansiedade-saude-bem-estar

Foto: iStock.com/Getty Images

Como o cérebro se comporta nos casos de ansiedade?

Quando o cérebro interpreta uma situação de ameaça, a amígdala cerebelosa entra em atividade, ajudando a despertar o estado de alerta. A estrutura está localizada na região chamada cérebro primitivo, pois foi a primeira a se desenvolver, o que faz com que seja a área relacionada aos instintos.

1-Em uma ação sincronizada, o hipocampo ventral é acionado, ao mesmo tempo em que a área medial do córtex pré-frontal entra em ação. O objetivo é que a região do cérebro reconheça ou não a situação como ameaça. O hipocampo é fundamental para a consolidação da memória e o processamento das emoções.

2- De acordo com a interpretação química, a área medial modula a resposta de outras áreas, como a amígdala cerebelosa. Isso serve para que seja produzida uma reação de defesa e comportamentos associados à ansiedade. O córtex pré-frontal é onde se processam as funções cognitivas e executivas do cérebro.

3- Diversos sistemas relacionados ao alerta, entre eles a amígdala e o hipocampo, estão localizados no sistema límbico, área responsável pelas emoções e comportamentos sociais.

LEIA TAMBÉM

Consultoria: Luiz Vicente Figueira de Mello, psiquiatra