Como seu cérebro influencia o humor?

Assim como a maioria das funções, o humor é afetado pelo cérebro. Veja como o mau humor age na mente e os benefícios de ser bem-humorado

None
FOTO: Shutterstock Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 06/11/2016 às 09:10
Atualizado às 11:39

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Quase todo mundo já teve que lidar com os altos e baixos do seu próprio humor. Às vezes, somos surpreendidos por situações que mudam nosso comportamento de um segundo para o outro, sejam elas surpresas boas, ou nem tanto. As causas por trás destas mudanças podem variar de acordo com cada pessoa e envolvem o cotidiano, ambiente de trabalho, estudo e convivência por escolha ou, até mesmo, por obrigação. Assim como em muitas outras funções, a central responsável por todas estas mudanças está no cérebro. É lá que as sensações passam de pura alegria para o fim do seu dia.

mulher sorrindo de bom humor

FOTO: Shutterstock Images

Conhecendo o humor

Segundo o psicólogo Armando Brito, “o humor é um estado de ânimo cuja intensidade representa o grau de disposição e de bem-estar psicológico e emocional de um indivíduo”.

O mau humor no cérebro é resultado da alteração ou falta de serotonina, neurotransmissor responsável por funções importantes como a própria regulação do ânimo, do sono e a sensação de saciedade.

É sempre bom lembrar as vantagens de levar a vida no ritmo do bom humor. Os benefícios refletem em toda sua rotina, visto que pessoas bem-humoradas tendem a ser mais produtivas e criativas e, consequentemente, a ter um salário melhor. Para o psicanalista Paulo Paiva, o mal-humorado pode criar “um autoboicote em sua evolução profissional”. Sem contar o fato de que esses indivíduos encontram mais problemas nos seus relacionamentos. Seja com namorado, na faculdade ou no trabalho, é difícil conviver com aquela pessoa ranzinza.

LEIA TAMBÉM

Consultorias: Armando Brito, psicólogo da Beneficência Portuguesa, em São Paulo (SP); Danielle dos Santos, nutricionista; Patrícia Bertoni, nutricionista; Paulo Paiva, psicanalista.

Texto e entrevistas: Giovane Rocha / Colaborador – Edição: Augusto Biason / Colaborador

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.