Cólica intestinal: solucione esse problema de maneira simples

Regular o funcionamento do intestino é essencial para a saúde e bem-estar do organismo: saiba como enfrentar a cólica intestinal!

None
Foto: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 06/12/2016 às 12:37
Atualizado às 12:53

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

O intestino é constituído por duas partes: intestino delgado e grosso. No intestino delgado acontece a seleção dos alimentos para a absorção. O que não for aproveitado pelo organismo é direcionado ao intestino grosso, através de movimentos peristálticos, que empurram o bolo alimentar para fora. No intestino grosso ocorre a absorção da água, também responsável na hora da eliminação das fezes. A velocidade (e qualidade) com que esse processo se desencadeia no corpo depende do tipo de alimentação adotada.

mulher-dores-colica-intestinal

Foto: Shutterstock

Cólica intestinal

Os sintomas do desconforto são dores intermitentes, provocadas por gases que distendem o abdômen. As crises podem variar entre prisão de ventre e intestino solto, dando sempre a sensação de que não houve a total evacuação. Esses sintomas estão relacionados a diversas doenças. A mais comum é a Síndrome do Intestino Irritável, uma complicação ligada a fatores emocionais (ansiedade, estresse, vergonha em usar o banheiro…) e alterações dos hormônios que regulam a excreção. O movimento peristáltico é o conjunto das contrações musculares que o intestino faz para formar o bolo fecal e depois ser eliminado. Quando esse movimento está coordenado, ocorrem contrações e relaxamentos sucessivos da musculatura, empurrando para baixo o que será excretado. Em casos de intestino irritável, as contrações e os relaxamentos não acontecem de forma coordenada, fazendo com que o intestino se esforce mais para eliminar o que está retido nele, desencadeando, portanto, quadros de prisão de ventre diarreia, alternadamente.

colica-intestinal

Foto: Shutterstock

Alimente-se bem!

Existem alimentos que aceleram muito a eliminação do bolo fecal (feijão, repolho, leite – em casos de intolerância à lactose – e café), lesando a mucosa e causando diarreia. Outros podem atrasar esse processo, fazendo com que os movimentos peristálticos percam a regularidade e provoquem cólicas intestinais, além de complicações para evacuar (carne gordurosa, produtos industrializados, pães, massas e biscoitos feitos com farinha branca, açúcar, entre outros). É importante manter uma rotina alimentar saudável para combater as cólicas. Especialistas pedem para beber muito líquido ao longo do dia, de preferência água, ingerir frutas, legumes e verduras, preferir carnes magras, optar por ingredientes integrais, como arroz, massas e biscoitos, e controlar a quantidade de fibras durante as refeições (aveia, linhaça, quiona…) em casos de diarreia.

Como regular o intestino

Além de melhorar os hábitos alimentares, é preciso verificar as causas da cólica intestinal. Descartados outros problemas mais sérios, em caso de o paciente sofrer com intestino irritável, o profissional deverá entrar com medicação para controlar o funcionamento do órgão, coordenando os movimentos peristálticos até que voltem ao normal. Outra medida é consumir fibras solúveis e insolúveis, que irão favorecer a formação e eliminação do bolo fecal.

ibras-contra-colica-intestinal

Foto: iStock.com/Getty Images

  • Fibras solúveis: em contato com a água do organismo, se transformam em uma espécie de gel, que diminui a absorção de carboidratos e gorduras, eliminando essas substâncias nas fezes.
    Elas podem ser encontradas em frutas (ingeridas com a casca), aveia, feijão (consumido com cautela), ervilha, lentilha, soja e verduras.
  • Fibras insolúveis: não são digeridas pelo organismo, ou seja, chegam “inteiras” no intestino. Isso faz com que ocorra o aumento do volume das fezes, acelerando o processo de evacuação.
    Encontre essas fibras no trigo, linhaça, verduras e frutas.

LEIA MAIS