ESTILO DE VIDA

Conheça a Chocolataria Frei Chico, que vende docinhos caseiros para ajudar crianças carentes

A chocolataria Frei Chico vende docinhos para ajudar crianças carentes em uma cidade do interior de São Paulo. Venha saber mais sobre essa história!

None
Frei Chico encontrou no chocolate uma forma de ajudar muitas crianças! Foto: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 09/05/2017 às 13:30
Atualizado às 17:55

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

No dia 04 de maio de 1985, o Frei Laurentino Pessuto, mais conhecido como Frei Chico, fundou o Centro Social São José, que foi inaugurado um pouco mais tarde, em 04 de março de 1987, na cidade de Santa Cruz do Rio Pardo, interior de São Paulo. O sonho de Frei Chico era tirar as crianças da periferia que ficavam na rua e colocá-las em uma creche, buscando desenvolver um trabalho educativo com elas e as famílias. De acordo com Aldevina Gabriel, auxiliar de direção, no começo o local era somente um barracão, mantido à base de doações de alimentos, que atendia 30 crianças. Atualmente, a entidade, juntamente com a Chocolataria Frei Chico, atende 290.

A Chocolataria Frei Chico

Na Páscoa de 1996, os voluntários do Centro Social fizeram ovos para dar às crianças da creche. Então, tiveram a ideia de vender os ovos e o resultado foi tão bom que o projeto foi crescendo a ponto de originar a Chocolataria Frei Chico, que hoje vende docinhos o ano inteiro. “Nós começamos em uma salinha. Ali, nós derretíamos em banho-maria as barras de chocolate que comprávamos no supermercado, fazíamos os ovos e embalávamos, tudo no mesmo local”, relembra Elisabete Cardim, voluntária do Centro Social.

Atualmente, a renda da produção da chocolataria é revertida para a manutenção do Centro Social São José e também para a Casa do Menor, um abrigo que atende mais de 80 crianças e adolescentes com famílias que não têm condições de criá-los.

interior da chocolataria frei chico cheio de ovos e produtos de páscoa.

Na Páscoa, a chocolataria Frei Chico fica lotada de ovos! Foto: acervo pessoal

Os produtos e as encomendas

Os quitutes da Chocolataria são feitos por Cristiane da Silva Domingues e Kelli Fernanda Oliveira Ferreira. No menu, as opções vão desde o brigadeiro tradicional até doces com lascas de amêndoas, camafeus, bem-casados e pães de mel, tudo sem conservantes e  aditivos. Segundo Cristiane, as delícias mais pedidas são os alfajores, os pães de mel, os beijinhos e brigadeiros para aniversários e bem-casados para casamentos. Os valores dos centos variam de R$68 a R$295.
As encomendas podem ser feitas por telefone, pelo site ou pelo Facebook e são retiradas na loja da Chocolataria, que fica ao lado do Centro Social. Outra forma de venda é o que Aldevina define como “a caixa”. Dentro de uma caixa de vidro transparente, as voluntárias colocam docinhos diversos e entregam em lojas da cidade para serem vendidos. “Conforme os produtos vão acabando, eu vou lá e reabasteço. É como se fosse uma venda consignada”, explica.

Outras formas de arrecadação

Para auxiliar nas despesas, os voluntários fazem muitas promoções e rifas, que são bem-aceitas pela população de Santa Cruz do Rio Pardo. Além disso, todo ano, no dia anterior ao Dia dos Pais, é feita a Festa do Chicolate na praça da cidade. No local, são vendidos os docinhos e outras delícias, como pastel, escondidinho, minipizza, etc.
Elisabete afirma que a instituição recebe muitas doações de roupas e alimentos, que são de extrema importância para as crianças. “Infelizmente, o que elas querem (as crianças) mesmo é comida. Quando a gente começou, sabíamos que tinha criança que fazia a última refeição na creche na sexta e só ia comer de novo na segunda-feira”, lamenta.

LEIA TAMBÉM: