ESTILO DE VIDA

O cérebro pode acostumar a contar mentiras, indica pesquisa

Você costuma mentir com muita frequência? Se sim, saiba que, segundo estudo científico, seu cérebro pode se acostumar com as mentiras

None
FOTO: iStock.com/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 16/01/2017 às 09:22
Atualizado às 17:03

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Publicado no periódico científico Nature Neuroscience, o estudo feito por pesquisadores da Universidade College London, na Inglaterra, descobriu que o cérebro humano sente culpa quando conta mentiras, mas é capaz de se acostumar com a prática se for realizada várias vezes.

A conclusão foi feita a partir de um experimento com 80 voluntários, que eram encorajados a contar mentiras enquanto tinham sua atividade cerebral monitorada.

mulher loira mentiras nariz grande

FOTO: iStock.com/Getty Images

O ato de contar dados distorcidos provocava uma forte reação na amígdala cerebelosa, região do cérebro associada às emoções. Conforme o tempo passava e mais mentiras eram contadas, a resposta da amígdala diminuía. Os estudiosos acreditam que o cérebro se acostuma com as emoções negativas, assim como uma pessoa não se choca mais se é exposta a imagens violentas.

O estudo das mentiras

Cada pessoa recebeu um jarro com diferentes quantidades de moedas e deveria enviar uma estimativa do valor no recipiente a um parceiro em outra sala, que precisava dar um palpite baseado na estimativa que recebia.

No primeiro cenário, os participantes receberam a orientação de que, quanto mais correta fosse a estimativa, melhor seria para o colega na outra sala, e ambos seriam beneficiados da mesma maneira. Conforme as regras mudavam  e a primeira pessoa recebia mais benefícios se mentisse a outra  o número de informações distorcidas era maior.

LEIA TAMBÉM

Texto: Thiago Koguchi – Edição: Giovane Rocha/Colaborador