ESTILO DE VIDA

Celulite: entenda o que é, como prevenir e como reduzi-la

Celulite: dermatologista responde aos questionamentos sobre esses furinhos que incomodam, em especial, as mulheres, confira!

None
FOTO: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 18/10/2016 às 09:30
Atualizado às 14:54

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Temida pelas mulheres, a celulite poderia ser considerada um certificado do sexo feminino. Afinal, após os 30 anos, 99% delas terão os tais furinhos. O responsável é o hormônio estrogênio, que faz o organismo feminino reter mais líquidos e concentrar a gordura na região dos quadris e das coxas. A boa notícia é que com alguns hábitos é possível reduzir a aparência de casca de laranja na pele. Confira!

1. O que é celulite?

Conhecida cientificamente como lipodistrofia, é uma alteração do tecido gorduroso, com formação de traves fibróticas que ligam a pele diretamente ao tecido subcutâneo, repuxando o tecido e, consequentemente, provocando a redução da circulação sanguínea no local, dando o aspecto acolchoado à pele”, informa a dermatologista Priscila Santos Morioka, da AmaDerm.

Flacidez e celulite no bumbum e coxas

FOTO: Shutterstock

2. Refrigerante causa celulite?

Por si só, o refrigerante não é o causador do problema. O que pode provocar a piora da celulite é o excesso de peso e o consumo abusivo de substâncias como açúcar e sódio, que fazem o organismo reter líquidos. Portanto, o ideal é manter uma alimentação equilibrada e praticar exercícios físicos regularmente. Esporadicamente, o consumo de refrigerantes não causa problemas.

3. É possível preveni-la?

Um ou outro furinho sempre vai aparecer nas mulheres, mas é possível evitar que eles piorem ou que tomem conta de toda a região glútea. “Os hábitos que ajudam na prevenção são a prática regular de exercícios físicos, a mudança na alimentação (evitando o excesso de açúcar, carboidratos e gorduras), não fumar, beber bastante água para eliminar as toxinas, diminuir a ingestão de sal e o estresse”, indica Priscila.

4. Homens também têm?

“Sim, apesar de ser menos evidente do que nas mulheres, por causa da diferença hormonal, disposição das fibras, de acúmulo de gordura e de retenção hídrica”, explica a dermatologista. A culpa é do estrogênio, hormônio feminino que faz com que as mulheres retenham mais líquidos e acumulem gordura na região dos quadris e das coxas. Já a testosterona, hormônio masculino, faz a gordura se acumular na barriga.

Celulite: entenda o que é, como prevenir e como reduzi-la

FOTO: iStock

5. Cremes reduzem a celulite?

Os específicos para essa função podem, sim, amenizar a aparência dos furinhos.Têm aqueles com propriedades anti-inflamatórias, que melhoram a microcirculação, os lipo redutores, que ajudam no metabolismo da gordura local, e os que contêm ativos para deixar a pele mais firme e hidratada”, lista Priscila. Procure os cremes à base de cafeína, centella asiática, DMAE e retinol. A dermatologista indica o uso duas vezes por dia e associado a outros tratamentos e mudança de hábitos.

6. Drenagem linfática é eficiente?

Se realizada periodicamente, sim. A drenagem é a massagem que estimula o sistema linfático, melhorando a eliminação de toxinas do organismo.É mais eficaz quando combinada com outros métodos. O recomendado é uma frequência de uma ou duas vezes por semana, e o tratamento vai depender de cada caso”, indica Priscila. Se for se submeter ao procedimento, procure clínicas de confiança com profissionais capacitados. A drenagem não deve deixar hematomas nem provocar dores.

Diferentes graus da celulite

A celulite é classificada em graus: o mais grave pode até provocar dores. Cada um tem um aspecto e necessita de tratamentos diferentes.

imagens de quatro glúteos com celulite em diferentes graus

ILUSTRAÇÕES: Ricardo Avancini

Grau 1

Pequenos furinhos que só aparecem se a pele for apertada. Tem fácil tratamento. Drenagem linfática com cremes específicos pode melhorar em até 100%.

Grau 2

Os furinhos já aparecem e o sistema linfático precisa ser estimulado. Drenagem linfática e tratamentos com radiofrequência podem melhorar o aspecto em até 80%.

Grau 3

O aspecto acolchoado da pele pode ser sentido ao toque e a textura da pele torna-se mais áspera, pois a microcirculação está comprometida. Drenagem linfática duas vezes por semana e ultrassom para facilitar a quebra de gordura são os tratamentos indicados.

Grau 4

Visível até sob as roupas, os nódulos são endurecidos e podem provocar dores. A combinação de dieta, exercícios físicos e tratamentos que aliem radiofrequência, infravermelho e massagens podem reduzir o grau.

LEIA TAMBÉM

Consultoria: Priscila Santos Morioka, dermatologista da AmaDerm, no Rio de Janeiro (RJ).