ESTILO DE VIDA

Castanha-do-pará: 1 por dia previne doenças neurodegenerativas

A castanha-do-pará é uma ótima opção para ser acrescentada às refeições, pois ela é rica em selênio, mineral que protege o cérebro.

None
FOTO: Stela Handa/Colaboradora

por Redação Alto Astral
Publicado em 11/08/2016 às 18:53
Atualizado às 21:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

No que diz respeito à saúde do cérebro, a castanha-do-pará se destaca devido ao seu alto teor de selênio. E o melhor: nem é preciso consumir muito do alimento para garantir seus benefícios: basta 1 unidade!

A castanha-do-pará é capaz de prevenir doenças neurodegenerativas

FOTO: Stela Handa/Colaboradora

Selênio: supermineral

Um estudo realizado pelo Laboratório de Nutrição Mineral da Universidade de São Paulo (USP) sugere que apenas uma unidade da castanha por dia seja suficiente para proteger o cérebro contra Alzheimer e outras doenças neurodegenerativas. Na pesquisa, cientistas compararam pessoas saudáveis com portadoras de males neurodegenerativos, constando que o grupo que possuía Alzheimer apresentava uma deficiência maior de selênio.

SAIBA MAIS:

Descubra como usar as oleaginosas a favor da dieta

Confira 10 alimentos que combatem o diabetes

5 nutrientes que ajudam a manter as emoções equilibradas

A castanha-do-pará, campeã nos níveis do mineral, concentra entre 200 a 400 microgramas do nutriente, sendo que 55 microgramas por dia são suficientes para deixar o cérebro de um adulto a todo vapor. O selênio é precursor da enzima glutationa peroxidase, que tem ação antioxidante e é uma das mais potentes no combate aos radicais livres, substâncias que danificam as células e, inclusive, provocam a morte de neurônios.

Mais vantagens da castanha-do-pará

Vitaminas C e E, além de gordura poli-insaturada, são nutrientes-bônus contidos na castanha-do-pará. Ela também tem ação antioxidante, evitando o envelhecimento precoce e o surgimento de outras doenças degenerativas, como esclerose múltipla. A gordura de boa qualidade ainda é ótima para a saúde do coração, pois evita que o colesterol ruim (LDL) se concentre nas paredes das artérias.

Texto: Marcella Moreira/Colaboradora

Consultoria: Elaine Pádua, nutricionista