ESTILO DE VIDA

O que fazer em caso de suspeita de assédio infantil

O caso do estupro do filho da pastora Bianca Toledo pelo padastro chocou o país. Saiba como agir em caso de suspeita de assédio infantil

None
Foto: Reprodução/Instagram

por Redação Alto Astral
Publicado em 08/07/2016 às 12:36
Atualizado às 15:18

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Recentemente, a pastora Bianca Toledo teve que lidar com uma situação extremamente complicada em sua vida familiar: o assédio infantil. O seu marido e também pastor, Felipe Garcia Heiderich, teria abusado de seu filho, de apenas 5 anos.

Bianca Toledo veio a público na última terça-feira (05), dizendo que as acusações eram verídicas e que seu marido é homossexual não assumido. Ela também declarou que entrou com o pedido de anulação do casamento com o pastor e pediu para que seus fãs orem por ela.

Pastora Bianca Toledo sorrindo com seu filho

Foto: Reprodução/Instagram

O advogado de Felipe negou as acusações de pedofilia da pastora, porém, Bianca confirma que a própria criança disse que sofreu abusos do padrasto. Atualmente, o pastor está preso no Complexo de Bangu, no Rio de Janeiro, por estupro de menor de 14 anos.

Infelizmente, esse tipo de caso é mais comum do que se imagina no Brasil. No primeiro trimestre de 2015 o Disque 100 registrou 4.480 casos de denúncias de violência sexual, sendo que 85% destes casos são de abuso sexual. Ainda sobre estes números, 58% dos casos de denúncia contra os direitos humanos envolvendo crianças têm como suspeitos os pais ou mães da criança.

Denuncie

Caso haja alguma suspeita de assédio infantil na sua família, ou até mesmo com conhecidos, o mais importante é denunciar. Procurar ajuda é sempre o melhor caminho, mesmo que seja apenas uma suspeita.

Para denunciar, ligue para o Disque 100, o Disque Denúncia Nacional de Abuso e Exploração Sexual contra Crianças e Adolescentes. A identidade de quem denuncia é preservada.

É importante não ter medo de denunciar: o seu nome ficará sob sigilo mesmo que os profissionais peçam os seus dados pessoais. Caso o abuso volte a acontecer após a denúncia, é importante voltar a denunciar, mesmo já tendo feito o relato anteriormente.

Converse com a criança

É essencial que os adultos próximos a criança mantenham uma relação de contato e um canal de comunicação aberto para que, caso esse tipo de crime aconteça, a vítima possa se abrir com maior facilidade ou até buscar ajuda nessa pessoa de confiança. Além disso, ser mais próximo da criança facilita a percepção de alguns sinais de abuso.

Acredite na vítima

Caso alguma criança venha até você em busca de ajuda para denunciar um abuso sexual, por mais irreal que pareça, é importante acreditar na vítima e pelo menos levar o caso como uma suspeita.

Procure um profissional

Depois de denunciar e levar o caso para a investigação e justiça, procurar um psicólogo é de extrema importância para que a criança possa seguir a sua vida de uma forma mais tranquila.

VEJA TAMBÉM

Internet sem medo: como manter seus filhos em segurança
11 lições que Procurando Dory e Nemo ensinam para seus filhos
6 pais que fizeram coisas incríveis pelos filhos