ESTILO DE VIDA

Cascas, sementes e talos podem ser as partes mais nutritivas dos alimentos!

Aproveitar todas as partes dos alimentos, além de uma ótima maneira de evitar desperdício, também pode trazer inúmeros benefícios ao seu organismo!

None
Foto: Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 12/04/2017 às 19:27
Atualizado às 15:26

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Segundo a Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO), a população mundial desperdiça 1,3 milhão de toneladas de alimentos todo ano. Uma dessas formas de desperdício acontece ao jogarmos fora partes que consideramos descartáveis nos alimentos. Quando fazemos isso, podemos estar, também, abrindo mão de diversos nutrientes benéficos para o nosso organismo. Entenda como é possível aproveitar ao máximo todos os ingredientes!

mulher segurando uma maçã com casca

Foto: Shutterstock.com

Organismo blindado

Muitas pessoas não sabem, mas cascas, sementes e talos podem ser mais ricos em vitaminas e fibras do que a própria fruta, verdura ou legume em si. “É o que acontece com a casca da laranja, por exemplo, que possui quarenta vezes mais cálcio do que a polpa. Já a semente da uva tem propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, e melhoram a saúde do sistema cardiovascular, além de diversos outros benefícios”, afirma a nutricionista Maria Eduarda Ourivio. Além disso, todas essas partes que costumamos descartar possuem alto teor de fibras, essenciais para o bom funcionamento do intestino e, consequentemente, para ajudar a eliminar a barriga estufada.

Utilize todas as partes dos alimentos!

Utilizar cascas, talos e sementes também nos leva à experimentação de novas receitas e sabores, fazendo com que o cardápio diário fique ainda mais diversificado. O abacaxi, por exemplo, é um alimento que possui inúmeros benefícios para a saúde e o emagrecimento. Mas se você quer potencializar o seu efeito, que tal utilizar a casca da fruta também? “Ela possui maior teor de fibras, vitaminas C e do complexo B, betacaroteno, cálcio, manganês, potássio e ferro do que a própria polpa. Além disso, pode ser consumida na forma de sucos ou chás, com propriedades digestivas e diuréticas”, afirma Maria Eduarda.

Consultoria: Maria Eduarda Ourivio, nutricionista da Clínica Vidhera, do Rio de Janeiro (RJ)

LEIA TAMBÉM