Saiba de que maneira o café favorece a memória e aposte na bebida!

Você sabia que o café favorece a memória? Seus benefícios vão além do seu característico sabor e o seu consumo pode ser muito saudável. Saiba mais!

None
A cafeína, quando consumida na quantidade indicada, pode ser muito benéfica para o organismo e até mesmo afastar a depressão! FOTO: iStock.com/Getty Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 17/07/2017 às 09:00
Atualizado às 12:31

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Quem nunca ouviu a famosa pergunta ‘aceita um cafezinho’? O café é uma das bebidas mais populares, tanto no Brasil quanto em outros países, e está presente nas casas e no trabalho de muitos. Mas, afinal, seu consumo traz benefícios ou malefícios para o ser humano? De acordo com a nutricionista Gabriela Marcelino, a cafeína é um potente estimulante do sistema nervoso central e tem efeitos positivos, entre eles o aumento da disposição física e a diminuição do sono. Porém, na medida certa, o café é um ótimo aliado para quem precisa de mais concentração. Saiba de que maneira o café favorece a memória e aposte nos seus benefícios!

Combustível para o cérebro

O café é rico em minerais, contém niacina (vitamina do complexo B) e também a cafeína, que estimula a atenção, a concentração, a memória e o aprendizado escolar. “O café contém os ácidos clorogênicos, antioxidantes naturais, que ajudam a prevenir a depressão e suas consequências. É um poderoso estimulante do sistema nervoso central, pois a cafeína atua bloqueando a adenosina, neurotransmissor do sono”, diz Gabriela. Ao ser ingerida em quantidade adequada, a cafeína reduz a sonolência, a apatia e a fadiga, além de favorecer a atividade intelectual do indivíduo, aumentando a capacidade de atenção, concentração e memória.

Principais benefícios

“A cafeína tem efeito estimulante, embora seja de curto prazo. É importante ressaltar que a sensibilidade a ela é algo individual e algumas pessoas são mais propensas aos seus efeitos do que outras. Em excesso, pode interferir no humor e deixar a pessoa agitada. Por isso, os efeitos benéficos associados ao seu consumo podem ser percebidos com a ingestão limite de 200mg de cafeína. Uma xícara média de café contém cerca de 100mg de cafeína”, explica a profissional. De acordo com os estudos, a dose diária não deve exceder a quatro xícaras de café, mas as características individuais devem ser levadas em consideração, tais como propensão a enxaquecas, gastrites e dificuldades no sono

O grão

De acordo com a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), o grão de café é rico em sais minerais (3% a 5%) como potássio, magnésio, cálcio, sódio, ferro, manganês, rubídio, zinco, cobre, estrôncio, cromo, vanádio, bário, níquel, cobalto, chumbo, molibdênio, titânio e cádmio. O grão possui também uma quantidade considerável de lipídios (10% a 20%), açúcares (35% a 55%) e aminoácidos (2%), substâncias importantes como fontes de energia, além de ácidos clorogênicos (7% a 9%) e niacina.

O poder

Por se tratar de uma bebida antioxidante, o café, além de melhorar a atenção, também pode melhorar o perfil de colesterol total do sangue e ter efeito na proteção contra danos oxidativos. Além disso, ele auxilia na prevenção do diabetes tipo 2, na redução do risco do Parkinson e auxilia na perda de peso, pois facilita a queima da gordura e pode acelerar o metabolismo, desde que a pessoa faça também atividades físicas. “Pesquisas estão relacionando a cafeína com a redução do risco de reações mutagênicas e carcinogênicas. Outras ainda têm relacionado o consumo do café como melhorador na atuação de atletas de alto rendimento”, diz Gabriela.

Texto: Redação Alto Astral | Consultoria: Gabriela Marcelino, nutricionista

LEIA TAMBÉM: