Por que a berinjela contribui com a glicemia e com a saúde?

Diversos nutrientes presentes no vegetal são excelentes para a saúde. Saiba por que a berinjela contribui com a glicemia!

None
A berinjela contribui com a glicemia porque é rica em fibras que regulam a ação do intestino. FOTO: Shutterstock.com

por Redação Alto Astral
Publicado em 08/03/2017 às 13:30
Atualizado às 13:34

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

As fibras são importantes nutrientes obtidos na alimentação, pois têm entre seus benefícios favorecer a digestão. Mas para os diabéticos, elas se tornam essenciais, pois ajudam na redução da glicemia, no controle do nível de insulina e dos lipídios. “As fibras retardam a velocidade com a qual o açúcar é absorvido no intestino, então, ela sobe mais lentamente, o que previne os picos de insulina no sangue”, aponta a nutróloga e médica ortomolecular Tamara Mazaracki. É aí que a berinjela contribui com a glicemia: uma xícara (chá) de berinjela cozida fornece 2,5g de fibra (10% da necessidade diária, que varia entre 25g a 30g).

A berinjela contribui com a glicemia e promove diversos benefícios

A berinjela contribui com a glicemia porque é rica em fibras que regulam a ação do intestino. FOTO: Shutterstock.com

Show de fibras

A berinjela integra a lista dos vegetais que são grandes amigos dos diabéticos. “As fibras solúveis são as que mais favorecem quem sofre de diabetes. Ao entrar em contato com a água, elas criam uma ‘capa’ em torno da comida e dificultam a absorção de açúcar”, explica o nutrólogo Maximo Asinelli. Quando isso acontece, há um retardamento na velocidade da digestão, evitando hiperglicemia e a hipoglicemia. Além disso, substâncias antioxidantes presentes na casca do legume ajudam a proteger as artérias, cegueira e trombose, além de auxiliar no processo de feridas, problemas recorrentes nos diabéticos.

Por que cuidar da alimentação?

Se preocupar com o que está no prato é um cuidado essencial para diabéticos. A doença é caracterizada por uma queda ou problema na produção de insulina ou resistência a essa substância pelo organismo. Esse hormônio (insulina) é responsável pelo transporte da glicose para as células (onde é convertida em energia), por isso, sem ela, há acúmulo de açúcar no sangue, o que acarreta diversos problemas pelo excesso dessa substância na corrente sanguínea.

Por ser uma síndrome metabólica, o diabetes não possui somente uma causa, mas alguns fatores podem colaborar para seu surgimento, como a genética, o sedentarismo e a obesidade. Sem o cuidado alimentar e médico, esse controle se torna pouco eficiente, podendo levar o indivíduo à morte.

Texto: Denis Eric/Colaborador

Consultoria: A Maximo Asinelli, nutrólogo; Tamara Mazaracki, médica ortomolecular e nutróloga;

LEIA TAMBÉM:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.