Biomassa e farinha de banana verde para aumentar o bem-estar

A banana verde pode ser consumida na forma de biomassa ou farinha e oferece diversos benefícios à saúde: controla a saciedade e melhora o humor

None
Foto: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 01/02/2017 às 12:46
Atualizado às 13:18

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

As bananas são bem populares no Brasil. Elas possuem fibras, ferro, potássio, magnésio e muitas vitaminas. Além disso, contam com poucas calorias e são muito saborosas. “Não existe uma hora exata para comer banana. Ela pode ser consumida no café da manhã, como sobremesa das principais refeições, além de ser uma ótima fonte de energia para quem vai malhar”, conta Alfredo Cury, endocrinologista.

farinha-banana-verde

Foto: Shutterstock

Porém, a maioria das pessoas a consome madura e rejeita a banana verde, por conta do seu sabor que costuma “amarrar” a boca. E como resolver isso? Simples, nem precisa deixar madurar. Basta transformar a fruta verde em biomassa ou farinha, ganhando assim alguns pontinhos na dieta. Na hora de eliminar os quilinhos extras, ela tem um diferencial – o amido resistente. Ele não é digerido pelo intestino delgado e deixa diversos nutrientes no organismo, gerando a sensação de saciedade prolongada e evitando que você fique com fome fora de hora.

Controla a ansiedade

Quem costuma atacar a geladeira devido à ansiedade pode fazer da banana uma parceira fiel. Isso porque a fruta tem altas quantidades de triptofano, nutriente que atua na produção de serotonina, um hormônio que proporciona bem-estar.

Zero glúten

Portadores da doença celíaca podem encontrar na farinha de banana verde uma substituta para a farinhade trigo, podendo ser usada tanto para o preparo de doces como salgados. A mistura não traz prejuízo ao paladar, pois não altera o sabor e, caso utilize a biomassa da fruta, ainda proporciona mais cremosidade às receitas.

Cintura fina!

A presença do amido resistente na fruta torna a digestão mais lenta e, consequentemente, auxilia na diminuição da velocidade de liberação da glicose na corrente sanguínea, favorecendo a redução da glicemia. Essa resposta reduz o pico de insulina, hormônio responsável por armazenar toda caloria extra sob forma de gordura localizada.

LEIA TAMBÉM:

Consultoria: Alfredo Cury, endocrinologista

Texto: Redação Alto Astral

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.