ESTILO DE VIDA

Babosa: as polêmicas e os benefícios dessa planta!

A babosa é popular por seu uso terapêutico e estético. Porém, tornou-se alvo de uma proibição da Agência Nacional de Vigilância Sanitária. Saiba mais!

None
Foto: PureStockX/DIOMEDIA

por Redação Alto Astral
Publicado em 06/02/2017 às 13:03
Atualizado às 13:22

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Quem nunca ouviu alguém indicando o uso da babosa no cabelo para dar brilho aos fios? A recomendação tem respaldo da sabedoria popular e é passada de geração em geração. A tradição foi se expandindo, assim como os benefícios creditados à planta. Dessa forma, a aloe vera, nome científico da babosa, também passou a ser usada como princípio ativo de alimentos e bebidas para os mais diversos fins: emagrecer, regular a glicose no sangue e até tratar câncer. Mas, afinal, ela é boa para quê?

babosa

Foto: PureStockX/DIOMEDIA

O que a babosa tem de bom?

Planta que se adapta facilmente aos climas quentes, a babosa é bastante comum no Brasil, e pode ser encontrada nos quintais das casas, em feiras livres ou em farmácias de manipulação. Sua maior virtude está num gel encontrado e extraído do interior de suas folhas suculentas e espinhosas. “A aloe vera tem propriedade laxativa, emoliente, refrescante, digestiva, anti-hipertensiva, hepática, vermífuga e cicatrizante”, conta o especialista em medicina chinesa e plantas medicinais brasileiras Alex Botsaris. Costumava ser indicada para casos de prisão de ventre, desnutrição e diarreia em crianças, incômodos relativos ao fígado e hipertensão. Mas desde uma resolução recente da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o uso da babosa ficou restrito ao campo da estética.

Por que não?

Segundo o órgão regulamentador, para ser utilizada na composição de alimentos e de bebidas, a babosa, que faz parte de uma categoria chamada de “novos alimentos”, deveria ter confirmação científica de que sua composição não oferece riscos à saúde. Contudo, os documentos apresentados não foram suficientes para isso. De acordo com informe técnico emitido pela Anvisa, a planta contém antraceno e antraquinona, substâncias que podem causar mutações nas células humanas. Portanto, seus efeitos não têm como ser avaliados imediatamente, mas em longo prazo. Desse modo, a venda, a fabricação e a importação de alimentos e bebidas à base de aloe vera estão proibidas no país. Continua autorizada a utilização da planta como aromatizante de alimentos, em cosméticos e medicamentos fitoterápicos para fins cicatrizantes.

babosa

Foto: Vinicius Tupinamba / Shutterstock.com

Beleza, sim!

“As vitaminas, minerais e açúcares presentes na babosa são ótimos para a pele, pois têm ação hidratante, cicatrizante, anti-irritante, anti-inflamatória e antioxidante”, diz o dermatologista Alexandre Okubo, da Clínica Prime e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia. Para os cabelos, por exemplo, pode-se aplicar o gel raspado da parte interna das folhas in natura diretamente sobre o couro cabeludo, amenizando inflamações como a dermatite seborreica, ou nos fios, melhorando o aspecto seco e quebradiço do comprimento. Bastam alguns minutos de aplicação para se obter ótimos resultados. Diversos cosméticos à base de aloe vera estão disponíveis no mercado e não há contraindicações para esse tipo de uso.

Texto: Redação Alto Astral

Consultoria: Alex Botsaris, especialista em medicina chinesa e plantas medicinais brasileiras; Alexandre Okubo, dermatologista da Clínica Prime e membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia

Fonte: Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa)

LEIA TAMBÉM