Consumo de azeite favorece o cérebro e estimula a memória

O azeite favorece o cérebro e estimula tanto a memória quanto a concentração, uma vez que é rico em ômega-3 e outras substâncias benéficas à saúde.

None
É importante consumir o azeite com moderação: 1 ou 2 colheres (sopa) por dia já é suficiente. Foto Reprodução

por Redação Alto Astral
Publicado em 01/06/2017 às 13:02
Atualizado às 12:02

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Responsável por comandar a complexa máquina chamada corpo humano, o cérebro também conta com a ajuda do azeite para funcionar melhor. Isso se deve ao fato de as membranas celulares serem envolvidas pelo ácido graxo ômega-3, o que proporciona uma melhor troca de informações por meio de impulsos nervosos, responsáveis pelas emoções, pensamentos e ações. Assim, o azeite favorece o cérebro e estimula a memória.

“Cerca de 60% do nosso cérebro é constituído de gorduras, que desempenham importantes funções. Assim, a saúde do cérebro está relacionada com o tipo de gordura que consumimos”, salienta a nutricionista Dominique Horta Buim. Dessa forma, o consumo de azeite favorece o cérebro, estando diretamente ligado às atividades cerebrais, tais como a memória, a concentração, o reflexo, a ansiedade, o estresse e até mesmo às doenças degenerativas mais graves, como Parkinson e Alzheimer.

Por ser rico em ômega-3, o azeite favorece o cérebro e ajuda na concentração.

Por ser rico em ômega-3, o azeite favorece o cérebro e ajuda na concentração. FOTO: iStock.com/Getty Images

Reações internas

Com a presença do azeite no organismo, as atividades celulares tendem a ser melhoradas em vários aspectos. O metabolismo celular, ou seja, as reações químicas que ocorrem dentro das células, é facilitado com a presença do ômega-3, que pode atuar na melhora de diversas áreas da saúde. “O ácido graxo é essencial no metabolismo de prostaglandinas, que são moléculas precursoras de hormônios – sexuais e neurotransmissores – utilizados para melhorar o sistema imunológico, nervoso e reprodutor”, esclarece Dominique.

Para os jovens, sim!

Assuntos relacionados ao cérebro e suas atividades são amplamente estudados por cientistas no mundo inteiro. A complexidade deste mecanismo envolve muitos mistérios ainda não desvendados e, por isso, novidades surgem a todo instante. Um estudo realizado na Universidade de Pittsburgh, nos Estados Unidos, apontou que o ômega-3 tem ação direta no desempenho cerebral dos jovens, que obtiveram uma significativa melhora na chamada “memória curta”, ou seja, aquela em que é possível se lembrar de pequenos afazeres do dia a dia.

Consultoria Dominique Horta Buim, nutricionista

LEIA TAMBÉM:

TAGSAZEITE

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.