Automedicação causa doenças cardíacas e dependência

A automedicação é praticada por muitas pessoas, mas esse hábito representa um risco, uma vez que pode causar problemas cardíacos e dependência.

None
FOTO: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 01/09/2016 às 18:04
Atualizado às 20:59

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Quando você sente dor de cabeça ou algum desconforto estomacal é comum que tome remédio por conta própria? Apesar de ser uma atitude frequente entre as pessoas, a automedicação pode ser extremamente prejudicial à saúde, causando problemas como reações alérgicas e dependência. E as complicações não param por aí: de acordo com o Ministério da Saúde, no caso dos antibióticos, o hábito pode aumentar a resistência de microrganismos e inibir a eficácia dos remédios.

A automedicação representa riscos à saúde

FOTO: Shutterstock

Para saber qual o melhor medicamento tomar em determinado caso é essencial ter uma formação que permita entender os efeitos e indicações de cada remédio, por isso a necessidade de se consultar um médico diante de quaisquer sintomas – em vez de se automedicar.

Os campeões no quesito automedicação

Você tem ideia de quais são os medicamentos mais comuns no uso sem prescrição? Acertou quem respondeu que são analgésicos, anti-inflamatórios e antialérgicos.

SAIBA MAIS:

Tomar remédio sem horário certo interfere no tratamento?

5 dúvidas sobre remédios para dor de cabeça

Conheça os remédios usados no tratamento da depressão

“Os pacientes tendem a tomar remédios por conta própria em caso de infecções, dores de garganta, rinites alérgicas, entre outros problemas. Porém, todo medicamento possui efeitos colaterais. Os anti-inflamatórios, por exemplo, podem causar azia e outros tipos de alteração no estômago. Já os antialérgicos podem resultar em quadros de sonolência excessiva”, alerta o membro da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial (ABORL-CCF) e professor da Universidade Federal do Espírito Santo, Henrique Ramos.

Além disso, os vasoconstritores nasais também aparecem entre os campeões da automedicação. “O uso crônico desses produtos pode causar arritmia e cardiopatias. A utilização desses remédios pode resultar em uma intolerância, bem como na necessidade de se aumentar sempre a dose. Esse tipo de medicamento também causa dependência”, destaca Henrique.

As pessoas devem ter cuidado com a automedicação, pois ela pode causar dependência

FOTO: Shutterstock

Embora tenha sido notada uma redução dessa conduta de automedicação depois da proibição da venda de antibióticos sem prescrição médica, ainda assim o problema persiste. “Infelizmente, essa proibição não mudou a postura de muitos pacientes, que vêm ao consultório buscando a receita e não o diagnóstico”, lamenta Ali Mahmoud, médico otorrinolaringologista do hospital das clínicas da FMUSP.

Consultoria Ali Mahmoud, médico otorrinolaringologista do hospital das clínicas da FMUSP; Henrique Ramos, membro da Associação Brasileira de Otorrinolaringologia e Cirurgia Cérvico Facial (ABORL-CCF) e professor da Universidade Federal do Espírito Santo

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.