Autoconhecimento: 10 motivos para aderir à prática!

Trabalhar o poder de se conhecer pode mudar a sua forma de enxergar a vida

O poder do autoconhecimento
O poder do autoconhecimento - Shutterstock

por Thaís Lopes Aidar
Publicado em 08/07/2021 às 22:00
Atualizado às 22:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Saúde mental e práticas como meditação, mindfulness, yoga, entre outras, têm ganhado força nos últimos anos. Parece que, finalmente, as pessoas entenderam a importância de cuidar de si mesmo e, principalmente, de trabalhar as próprias questões, buscando sempre se fortalecer e evoluir através do autoconhecimento.

"Autoconhecimento é a investigação de si próprio, quanto mais eu me conheço, mais eu me curo. Precisamos entender que isso é libertador! Entender nossas necessidades, crenças, desafios, medos, enfim, tudo faz parte do processo de crescimento", explica a mentora e empreendedora Luzia Costa.

Assim, quando se entende a importância de trabalhar essa ferramenta, a forma de olhar para a vida muda completamente. É como se um filtro fosse retirado dos olhos e o mundo começasse a ser visto de outra forma, bem mais clara e livre de amarras. 

Para mergulhar fundo nessa jornada, confira 10 motivos pelos quais vale a pena aderir à prática do autoconhecimento!  

1. Melhorando as inseguranças 

É comum que o ciúme apareça quando não há segurança sobre um sentimento, situação ou pessoa. No entanto, se passamos a nos conhecer, exercitamos também a nossa autoconfiança. Você entenderá com mais clareza o que sente e o que quer, facilitando decisões e afastando motivos para se sentir inseguro. 

2. Está tudo bem em dizer "não"

Quem nunca disse um "sim" e acabou prejudicando a si mesmo? Pode ser uma tarefa difícil dizer a alguém que você não pode fazer determinada coisa, seja por falta de tempo ou simplesmente por não querer. Mas saiba: isso é completamente necessário. Se priorizar não é sinônimo de egoísmo e não poder naquele momento, não te torna uma pessoa ruim, ok?

3. Enxergando as pessoas como elas realmente são

Conhecer é compreender. Libertar-se de padrões é fundamental para poder enxergar as pessoas com base em seus próprios princípios. Dessa forma, fica muito mais fácil criar uma admiração sincera por alguém! Além disso, o sentimento de comparação diminuirá. 

4. Amor-próprio em primeiro lugar!

Para estarmos bem em todos os setores da vida, precisamos, antes de tudo, ter uma relação de amor e cuidado com nós mesmos. As pequenas escolhas, como aprender a dizer não e trabalhar a autoconfiança, são o começo desse caminho. Cada gesto de amor que damos a nós é parte do amor-próprio que vai sendo trabalhada.

Reserve um tempo para cuidar de si, fazer algo que gosta por puro prazer, descansar ou até mesmo dormir. Não importa qual seja a atividade, desde que ela seja feita exclusivamente para você e pensa no seu bem-estar.

5. Buscando o equilíbrio

"Equilíbrio do corpo, mente e espírito. A base desse tripé é muito importante!", conta Luzia. Assim, para conseguir uma conversa entre essas três esferas, todas elas precisam ser trabalhadas e evoluídas. 

O corpo pede descanso, cuidados com a saúde, movimento e alimentação. A mente requer atenção, práticas que afastem ansiedade e estresse, pausas, exercícios e, se necessário, acompanhamentos. Já o espírito, lembra a necessidade de olhar para dentro, de conectar-se a algo maior e ter um propósito. 

6.  Autoestima

A autoestima é o grande resultado das práticas de amor-próprio. Olhar para si com gentileza e cuidado, sem cobranças ou culpa, e reconhecer o seu valor. Quando enxergamos nossa beleza interior até mesmo o reflexo no espelho muda. Você é sua casa, ame-se!

7. Autonomia

Você está no controle da sua vida e deve ter o poder de tomar as próprias decisões! Quando temos clareza de nossos pensamentos, medos e objetivos, deixamos de lado as influências e passamos a decidir por nós mesmos. 

8. Pés no chão!

Como já dito, conhecer é compreender. Embora não devamos jamais abandonar nossas intuições e sensações, há momentos onde os pés devem estar firmes no chão. Manter a noção de realidade aflorada nos aproxima daquilo que é concreto, especialmente quando já temos a consciência de quem somos e dos fatos que nos rodeiam. 

9. Um novo olhar para a vida

As pessoas não são iguais, portanto, não há base para julgamentos. Se as decisões são guiadas por diferentes olhares, como podem ser consideradas erradas? Não há mais tempo de julgar quando entendemos que cada individuo é livre e diferente. Isso nos proporciona ainda o reconhecimento de que, dessa forma, também não poderemos ser julgados. Mas, é claro: o livre-arbítrio não é justificativa para fazer o mal ou magoar pessoas! Aja sempre com sabedoria e respeito.

10. O poder dos pensamentos

Você já ouviu dizer que os pensamentos e as palavras têm poder? Pois, então! Cuide daquilo que habita a sua mente e cultive sempre energias boas, pensamentos positivos e crenças do bem. Não se deixe levar pelo pessimismo, nem pelas opiniões alheias.

"Precisamos tomar cuidado para não alimentarmos pensamentos que podem nos levar a desacreditar de nós mesmos, pensamentos tóxicos. Por exemplo: você sente uma dor no peito e alguém fala que pode ser cardíaca, aí nosso psicológico já leva para uma doença séria, e ao descobrir que não é nada, a dor passa", aconselha a mentora. 

Fonte: Luzia Costa, mentora, empreendedora e CEO do Grupo Cetro. Seu propósito é transformar vidas através do empreendedorismo.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.