ESTILO DE VIDA

Aprender coisas novas é uma forma de estimular a memória: confira!

A memória é uma parte muito importante da nossa vida. Contudo, para estimular essa função cognitiva à sua capacidade máxima, é preciso empenho.

None
Foto: Freepik

por Redação Alto Astral
Publicado em 11/01/2017 às 10:20
Atualizado às 16:55

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

O neurologista Leandro Teles afirma que “memorizar bem não é necessariamente memorizar mais, mas sim memorizar melhor”. Por isso, para estimular essa função cognitiva à sua capacidade máxima, é preciso empenho. “Organizar a informação com eficiência e velocidade, conseguir extrair a essência e evitar aspectos irrelevantes de determinadas vivências, com isso aumentando o rendimento na evocação, sem brancos, confusões ou perdas constrangedoras. Todo mundo consegue melhorar, mas precisa se dedicar, alterar hábitos de vida e estabelecer novas rotinas cognitivas”, conclui o especialista.

Novas tarefas

Aprender coisas novas e tentar executar as mesmas funções de uma maneira diferente é uma forma de estimular o bom funcionamento cognitivo. O neurologista Leandro Teles explica que “O trabalho de facilitação de memorização visa sempre desligar um pouco o piloto automático e tomar as rédeas do processo, criando links associativos, fazendo analogias, amplificando e diferenciando o estímulo em questão, avisando o cérebro da importância de memorizar e estabelecendo caminhos para propiciar uma evocação facilitada”. Algumas técnicas de estudo se mostraram mais eficazes em estudos que outras.

mulher, sentada, tablet, estimular, memória

Foto: Freepik

Ciência

Por exemplo, uma pesquisa feita pela Pardue University, nos Estados Unidos, mostrou que aplicar testes em si mesmo ajuda na memorização de uma matéria. Sessões de aprendizagem espaçadas também se mostraram mais eficazes em uma pesquisa feita na Universidade da Califórnia. Além disso, quanto mais profundamente você compreende um assunto, mais ele fica registrado em sua memória. Ou seja: quando você continua estudando mesmo quando já aprendeu o tema, você reduz a interferência de outras memórias no assunto, e passa a estimular um aprendizado mais eficiente.

LEIA TAMBÉM

Texto: Redação Edição: Angelo Matilha Cherubini

Consultorias: Leandro Teles, neurologista.