Antidepressivo na gravidez aumenta risco de autismo

O uso de antidepressivo durante a gestação pode trazer consequências graves para o bebê, como o surgimento de autismo e outros problemas.

None
FOTO: Shutterstock Images

por Redação Alto Astral
Publicado em 27/07/2016 às 19:14
Atualizado às 21:02

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Um estudo publicado no Journal of the American Medical Association Pediatrics demonstrou que mulheres que tomam antidepressivos ao longo da gravidez apresentam 87% a mais de chances de ter bebês com autismo.

Antidepressivo pode favorecer o surgimento de autismo

FOTO: Shutterstock Images

Com base na pesquisa, foi revelado que tomar antidepressivo, principalmente os que atuam sobre o hormônio serotonina, durante o segundo ou o terceiro trimestre da gravidez, quase duplica o risco de autismo na criança. As causas dessa doença ainda estão sendo pesquisadas, mas acredita-se que a genética e o ambiente podem ser fatores de risco.

Como o autismo se manifesta?

O autismo pode aparecer de forma leve, moderada ou grave. No entanto, os indivíduos afetados têm algumas semelhanças: costumam ter dificuldade para interagir socialmente, possuem padrões repetitivos de comportamento e de fala e, geralmente, se interessam por um único assunto.

Contudo, é importante saber que tais características podem mudar com o tempo, desde que existam profissionais habilitados para estimular as áreas afetadas pelo transtorno, utilizando as técnicas corretas.

SAIBA MAIS:

Gravidez tardia é arriscada ou traz benefícios?

Conheça as causas, o diagnóstico e o tratamento do autismo

Confira um guia para conhecer mais sobre o autismo

Antidepressivo pode gerar mesmo o autismo?

De acordo com o biólogo molecular Alysson Muotri, nem tudo o que a gestante ingere chega ao cérebro do feto, mas existem diversas substâncias que, quando consumidas durante a gestação, podem colaborar para o surgimento do espectro autista.

“O consumo de álcool é um grande fator de risco. Certas infecções, por vírus e bactérias, podem contribuir. Remédios e antibióticos, consumidos de forma errada, também podem afetar o feto”, destaca o biólogo. Assim, todo cuidado é pouco durante a gestação.

Texto Érica Aguiar/Colaboradora e Larissa Tomazini

Consultoria Alysson Muotri, biólogo molecular

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.