Ansiedade: saiba quais são os sinais da doença e como tratá-la

Você sabia que sofrer excessivamente por antecipação pode ser um sinal do distúrbio de ansiedade? Saiba mais sobre a doença!

None
Foto: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 02/01/2017 às 12:55
Atualizado às 13:00

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

A ansiedade está presente na vida de todos. Ela é uma reação natural de antecipação e de percepção a algum tipo de perigo futuro, seja ele real, iminente ou imaginário. “De modo geral, a ansiedade é uma resposta normal e desejável. Em níveis adequados, essa resposta pode até melhorar o nosso desempenho, já que dispara no organismo substâncias ligadas às reações de luta e fuga”, conta o psiquiatra Marcelo Piquet Carneiro.

mulher ansiedade nervosismo

Foto: Shutterstock

Normal até que ponto?

Apesar de ser uma reação natural e comum a todos, a ansiedade pode se tornar patológica. O problema surge quando ela se torna desmedida e incontrolável, afetando o funcionamento pessoal e se manifestando por meio de ataques de pânico e fobia. “A manifestação pode ser súbita ou gradual, e sua intensidade pode variar desde uma ansiedade leve e imperceptível até um ataque de pânico. É comum sentir medo, ficar apreensivo, ter sudorese, taquicardia e agitação antes de decisões e acontecimentos, mas quem sofre de um transtorno de ansiedade tem essas sensações sem uma causa aparente ou uma ameaça”, explica a psiquiatra Maria Cristina de Stefano.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), esse é um mal que afeta cerca de 33% da população mundial e está cada vez mais presente atualmente, deixando de ser um problema subestimado. Na capital de São Paulo, por exemplo, cerca de 30% das pessoas sofrem com transtornos de ansiedade e demonstram sintomas da doença, que é considerada pelos especialistas um problema de saúde moderno, desencadeado pela rotina pesada, estresses do dia a dia e pressões pessoais.

Tratamento e ajuda

mulher-meditacao-ansiedade

Foto: iStock.com/Getty Images

As pessoas, normalmente, identificam seus tormentos emocionais, mas acabam atribuindo os sintomas a outros fatores. Por isso, é necessário identificar o que está acontecendo de diferente, assumir o estado e entender que é necessário buscar ajuda. Para ter o diagnóstico, é indicado procurar um especialista no assunto, como um psicólogo ou um médico psiquiatra. O tratamento correto depende muito de um diagnóstico preciso, porque grande parte dos sintomas do transtorno de ansiedade também pode existir em outras doenças, como no transtorno bipolar. “O tratamento é feito através de antidepressivos modernos e ansiolíticos extremamente seguros e eficazes. Vale ressaltar que as psicoterapias também contribuem para o paciente. A combinação desses dois métodos – medicamentos e terapia – produz os melhores resultados”, afirma Marcelo.

Problemas decorrentes

Outro fator preocupante é que os transtornos de ansiedade provocam uma série de problemas em quem sofre desse mal. “Eles desencadeiam um efeito cascata no sistema adrenérgico do corpo, responsável por acionar as respostas adaptativas de luta ou fuga. As reações decorrentes desse mecanismo de proteção, se não forem desligadas em tempo conveniente, levam ao estresse crônico, que pode causar alterações graves nos diversos sistemas reguladores, como alteração da pressão arterial, do metabolismo, do sistema sono-vigília, das funções musculoesqueléticas, do sistema digestório, urinário, entre outras”, conta Maria Cristina. Gastrite, má digestão, taquicardia, hipertensão, falta de ar e tosse podem ser distúrbios resultantes da ansiedade.

5 sinais de ansiedade

  • Suando frio: a ansiedade desencadeia a sudorese, que pode ocorrer mesmo em dias de baixas temperaturas. A estimulação do sistema nervoso faz as glândulas sudoríparas produzirem maior quantidade de suor, que pode ser generalizada ou se concentrar em partes do corpo, como testa e mãos.
  • Coisa dacabeça: diante de uma situação interpretada pelo cérebro como ameaça, estimula-se o sistema nervoso, que acelera o metabolismo para colocar o organismo em estado de alerta. Quem tem transtornos de ansiedade pode apresentar falhas de memória e dificuldade de concentração.
  • Batendoforte: também provocado pelo aumento do metabolismo, o coração fica acelerado e, em alguns casos, pode haver dores no peito.
  • Fora de controle: tremores e arrepios podem afetar o corpo inteiro ou só uma parte dele, como mãos ou pernas.
  • Tensão: a rigidez muscular pode provocar dores em qualquer parte do corpo, mas a tensão costuma se concentrar nos ombros e pescoço. A ansiedade também é a principal causa do bruxismo (tensão no maxilar).

Texto: Edgard Vicentini/Colaborador

Consultoria: Marcelo Piquet Carneiro e Maria Cristina de Stefano, psiquiatras

LEIA TAMBÉM:

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.