Ansiedade gera sensação de “medo de ter medo”

Ansiedade faz a pessoa sofrer por antecipação e ter o sentimento de "medo de ter medo". Veja mais sobre o assunto e como mudar o rumo da vida.

None
Foto: Shutterstock

por Redação Alto Astral
Publicado em 20/10/2016 às 18:16
Atualizado às 11:46

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

Com tantas tarefas diárias para fazer em menos de 24 horas, fica cada vez mais difícil manter a calma e a certeza de que tudo vai dar certo. Por isso, os sentimentos de ansiedade são tão comuns, podendo causar até alguns transtornos como a síndrome do pânico. Para acabar com esses sentimentos e manter uma vida tranquila, consultamos especialistas que explicaram como a ansiedade e o medo agem no organismo.

medo

Foto: Shutterstock

Afinal, o que é?

“Definimos ansiedade por um conjunto de sintomas físicos, tais como taquicardia, respiração ofegante e suor nas mãos, que aparecem, em geral, diante de situações em que o indivíduo percebe que não tem controle sobre seu ambiente. Assim, já fica claro que o problema não é a ansiedade em si, mas a capacidade do indivíduo em enfrentar e contornar situações de incontrolabilidade”, explica Adriana Serrano, psicóloga comportamental. Leonard Verea, médico psiquiatra, complementa que a sensação de estar com os nervos ‘à flor da pele’ é bastante comum na ansiedade, que aparece quando a pessoa costuma pensar bem antes de algo acontecer.

“Muitas pessoas sofrem por antecipação, colocando em ato um processo que chamamos de evitação: por medo de viver uma crise de ansiedade, a pessoa limita cada vez mais o próprio raio de ação, evitando todas aquelas situações que considera de risco”, explica Leonard.

Dessa forma, a pessoa desenvolve o ‘medo de ter medo’ e isso não ajuda a diminuir os sintomas e acaba criando outros. “Entrar por um caminho estreito, prejudicar soluções, colocar-se em uma gaiola: isso é ansiedade. ‘Não aguento mais’ é uma das frases mais faladas por quase 30% da população”, revela Leonard.

O profissional explica que todos nós somos um pouco estressados, mas não é difícil mudar os rumos da nossa vida, uma vez que pequenas mudanças na forma de pensar e de viver as situações que nos envolvem já são suficientes.

“É normal na vida querer subir, fazer carreira, progredir, mas muitas vezes as pessoas não percebem o que deixam para trás. Tudo parece evoluir muito bem, mas sem uma estrutura firme e bem alicerçada. De repente a pessoa acorda ansiosa, cheia de medo, insegura, inquieta, agitada e repetindo a fala ‘não aguento mais’, sem saber a quem recorrer e como resolver. A maior parte dos pacientes que sofre de ansiedade, quando indagada, relata que perdem as paixões por algo gostoso e bom na vida antes do problema, por isso está tão mal”, alerta Leonard.

LEIA TAMBÉM

Texto: Amanda Araújo/Colaboradora – Edição: Augusto Biason/Colaborador

Consultorias: Adriana Serrano, psicóloga comportamental; Leonard Verea, médico psiquiatra formado pela Faculdade de Medicina e Cirurgia de Milão, Itália.

ASSINE NOSSA NEWSLETTER

Ao assinar nossa newsletter, você concorda com os termos de uso do site.