ESTILO DE VIDA

Alimentos em que você deve investir para que a dieta dê certo!

Descubra porque e quais alimentos devem ser permitidos ou proibidos na dieta e acelere seu processo de emagrecimento ainda mais!

None
Foto: iStock.com/GettyImages

por Redação Alto Astral
Publicado em 24/01/2017 às 18:35
Atualizado às 14:48

COMPARTILHEShare to WhatsappShare to FacebookShare to LinkedinShare to TwitterShare to Pinteres

A proposta da dieta detox é reduzir e até eliminar substâncias nocivas acumuladas no organismo ao longo do tempo. “Essas toxinas são adquiridas pela ingestão de alimentos com baixo índice nutricional e ricos em gorduras de má qualidade, como as do tipo saturada e trans”, explica a nutricionista Gabriela Marcelino. Para que isso seja possível, alimentos industrializados ficam proibidos e outros, naturais, devem marcar presença no cardápio de quem busca desintoxicação e uma silhueta mais enxuta.

Alimentos dieta detox

Foto: iStock.com/Getty Images

Isto pode!

Melancia

Quanto mais água um alimento tem, mais diurético ele é. Por isso, a fruta, constituída por cerca de 90% de água, é tão eficiente no combate à retenção de líquidos, eliminando impurezas pela urina. “A melancia é rica em vitaminas e minerais que auxiliam no equilíbrio orgânico, além de possuir licopeno, poderoso antioxidante na prevenção de alguns tipos de câncer. Vasodilatadora, também favorece a circulação sanguínea, que, por sua vez, melhora o funcionamento dos órgãos”, explica a nutricionista Barbara Rescalli Sanches.

Linhaça

A semente de linho já ganhou fama por seus muitos benefícios: fortalece o sistema imunológico, evita inflamações, alivia sintomas da TPM e menopausa, protege artérias e neurônios, facilita o trabalho do intestino e ajuda a controlar o diabetes. “Suas fibras são muito úteis na dieta, pois absorvem água e formam um gel que retarda o esvaziamento do estômago, aumentando a saciedade e ajudando a reduzir o apetite”, acrescenta a nutricionista Lilian Speziali.

Limão

Contém vitamina C e substâncias que favorecem o funcionamento do fígado. Previne alguns tumores, facilita a eliminação de toxinas e tem potente atividade antioxidante.

Abacaxi

Graças à presença da enzima bromelina, a fruta é muito digestiva e facilita o funcionamento do estômago e a absorção de nutrientes.

Maçã

A grande virtude da fruta é a pectina, uma fibra solúvel presente em sua casca que, ao ser ingerida e em contato com água, se transforma num gel que impede a absorção de parte da gordura dos alimentos. A maçã também tem ativos antioxidantes, que ajudam a eliminar outras substância impróprias ao organismo.

Folhas verdes

Além de muitas fibras, vitaminas e minerais, alface, agrião, acelga, couve e outras folhas verdes são fontes de clorofila, um antioxidante que minimiza a ação danosa dos radicais livres nas células, que provocam envelhecimento precoce e doenças. As verduras melhoram a imunidade, aliviam a prisão de ventre, reduzem os níveis de bactérias patogênicas no intestino, as taxas de triglicérides e o risco de osteoporose.

Chás verde e de hibisco

“O chá verde é um poderoso antioxidante. Possui xantinas, substâncias que aceleram o metabolismo e facilitam a mobilização de gorduras estocadas”, explica a nutróloga e médica ortomolecular Tamara Mazaracki. Do mesmo modo é o hibisco, que é diurético, laxante e termogênico.

Quinoa

Ganhando notoriedade por aqui, o grão de origem andina melhora o funcionamento do intestino, varrendo as toxinas para fora do corpo. “É um alimento completo por ser boa fonte de proteína, ter baixa concentração de carboidrato e de gordura. Ainda é rica em ferro, fósforo, cálcio e vitaminas C, E e do complexo B”, diz a nutricionista Alessandra Coelho.

Na dieta, não!

Açúcar

Só é bom para o paladar, pois, no mais, traz prejuízos ao corpo e à saúde. “O consumo exagerado de açúcar provoca fome, aumenta o peso, os níveis de glicemia e de triglicérides, causando entupimento nos vasos sanguíneos. Como é um alimento que causa acidez, facilita a proliferação de micro-organismos e o surgimento de doenças”, afirma a nutricionista Luciana Carneiro.

Carne vermelha

Um pedaço de bacon pode demorar até 12 horas para ser processado pelo organismo, dificultando a digestão e a eliminação de toxinas. “Cortes gordos são ricos em gordura saturada e ácido araquidônico, um tipo de gordura que tem ação inflamatória e facilita a deposição de colesterol na parede dos vasos sanguíneos, além de serem muito calóricos e contribuírem para o aumento de gordura corporal”, alerta Tamara. Estudos sugerem que esse tipo de gordura está relacionada a um maior Abacaxi risco de câncer.

Embutidos

O risco de câncer também existe quando há grande consumo de alimentos enlatados e embutidos (salame, lombo, etc.), pois são ricos em conservantes, como nitritos e nitratos.

Café

Os estudos são controversos quando se fala no grão. Mas o que se sabe é que não é bom exagerar nem para menos, nem para mais. Ou seja, pode-se consumir até 4 xícaras (50ml) por dia, para não ter problemas de dor de cabeça e elevação da pressão arterial.

Glúten e lactose

“O glúten é a principal proteína do trigo, do centeio, da aveia e da cevada (e do seu subproduto, o malte), ressalta Luciana. Ambos os nutrientes tendem a causar processos inflamatórios, especialmente em pessoas com sensibilidade excessiva. Por isso, durante a dieta detox, é melhor eliminar do cardápio alimentos que sejam fonte dessas substâncias.

Texto: Marcella Pacheli | Consultorias: Gabriela Marcelino, Barbara Rescalli Sanches, Alessandra Coelho, Lilian Speziali, nutricionistas; Tamara Mazaracki, nutróloga e médica ortomolecular

LEIA TAMBÉM